O réveillon mal acabou e já vamos falar do carnaval… de São Paulo. Pois é, não é só Rio de Janeiro e Salvador que têm folia, não. A Terra da Garoa, além dos desfiles das escolas de samba, tem uma programação animada de blocos carnavalescos.

Confira a programação:

Banda Bantantã – 5 de fevereiro, sexta-feira

O bloco desfila pelo Butatã, na Zona Oeste, às 21h, mas a concentração começa bem mais cedo, às 16h, na esquina da Avenida Waldemar Ferreira com Rua Desembargador Armando Fairbanks.

A Banda Bantantã foi fundada em 1979 por funcionários da Universidade de São Paulo (USP) frequentadores dos bares da Avenida Waldemar Ferreira.

Percurso: Rua Desembargador Armando Fairbanks, Av. Vital Brasil, Rua Estevão Lopes, Rua Gaspar Moreira, Praça Monte Castelo, Rua Romão Gomes e Av. Lopes, Rua Gaspar Moreira, Praça Monte Castelo, Rua Romão Gomes e volta para a Av. Waldemar Ferreira. O bloco faz duas vezes o mesmo percurso.

Banda do Candinho – 10 de fevereiro, quarta-feira

O percurso passa pelas ruas da Bela Vista e do Bixiga, no Centro. A concentração começa às 17h, na esquina das ruas Santo Antônio e 13 de Maio, no Bixiga. O desfile deve começar por volta das 21h.

A Banda do Candinho foi fundada em 1981 e tinha como objetivo divulgar a festa pré-carnavalesca de São Paulo. Um dos destaques da banda é o show de mulatas.

Percurso: Rua Santo Antônio, Rua Martinho Prado, Rua Martins Fontes, Rua da Consolação, Rua Xavier de Toledo, Praça Ramos de Azevedo, Teatro Municipal, Rua Conselheiro Crispiniano, Largo do Paissandu, Av. São João, Av. Ipiranga, Praça da República, Av. São Luiz, Viaduto 9 de Julho e Rua Santo Antônio até a esquina da Rua 13 de Maio.

Banda Grone´s – 07 de fevereiro, domingo

A concentração começa às 13h na Rua Dr. Saturnino Vilalba, na altura da Praça Lions, de onde o bloco parte, por volta das 16h, para o seu percurso pelas ruas do Tremembé, Zona Norte.

Chamado de Grêmio Cultural e Esportivo Grone’s, o bloco desfila há nove anos pelas ruas do Tremembé, mas durante todo o ano mistura futebol e samba em um casamento animado.

Percurso: Rua Dr. Saturnino Vilalba, Rua Mártires Armênios, Rua Georgi Michel Atlas, Rua Alcindo Bueno de Assis e Rua Lavinia Pacheco e Silva.

Banda Redonda – 08 de fevereiro, segunda-feira

Os foliões se concentram a partir das 19h no encontro das ruas Theodoro Baima e da Consolação com a Avenida Ipiranga. O desfile começa às 21h.

A Banda Redonda completa 31 anos de existência no início de 2010. foi fundada por atores e profissionais de teatro e cinema e costuma desfilar toda segunda-feira que antecede o carnaval.

Percurso: Rua Theodoro Baima, Rua da Consolação, Rua Xavier de Toledo, Praça Ramos de Azevedo, Teatro Municipal, Rua Conselheiro Crispiniano, Largo do Paissandu, Av. São João, Av. Ipiranga, Praça da República e Rua Theodoro Baima.

Bloco Classe A – 06 de fevereiro, sábado

O desfile pelas ruas da Barra Funda, Centro, está marcado para as 15h, mas a concentração começa ao meio-dia em frente ao número 295 da Rua Souza Lima.

Fundado em 1979, o bloco Classe A nasceu nas proximidades da Praça Marechal Deodoro, na região central, em um terreno baldio onde os moradores jogavam bola. O Classe A nasceu como time, mas como os jogadores gostavam de samba, resolveram criar o bloco carnavalesco.

Percurso: Rua Souza Lima, Rua Barra Funda, Alameda Eduardo Prado, Praça Marechal Deodoro, Rua General Olímpio da Silveira, Rua Mário de Andrade, Rua Lopes Chaves, Rua Camaragibe, Rua João de Barros, Rua Brigadeiro Galvão, Rua Conselheiro Brotero, Rua Barra Funda e Rua Souza Lima.

Bloco da Ressaca – 06 de fevereiro – sábado

O bloco desfila pelas ruas do Cambuci, entre a região central e a Zona Sul. A saída está marcada para as 16h30m, e a concentração, no Largo do cambuci, para as 14h.

O Bloco da Ressaca foi criado em 1984 por um grupo de amigos que costumavam frequentar um tradicional restaurante do bairro. Desde então, o bloco sai no sábado que antecede o carnaval e leva fantasias feitas pelos próprios participantes. Em 2010, a organização espera reunir uma banda com 40 metais e uma bateria com 50 percussionistas.

Percurso: Largo do Cambuci, Rua Luiz Gama, Rua Cesário Ramalho, Rua dos Alpes, Rua Gerônimo de Albuquerque, Rua Barão de Jaguará, Rua Silveira da Motta, Rua Justo Azambuja e Rua Lavapés até o Largo do Cambuci.

Banda do Trem Elétrico – 12 de fevereiro, sexta-feira

O bloco da Banda do Trem elétrico vai desfilar a partir das 21h pelo bairro da Consolação, no Centro. A concentração será às 19h na Rua Augusta com a Rua Luiz Coelho, próximo à estação Consolação do Metrô.

A banda foi fundada em 1981 por metroviários que costumavam se reunir na área de lazer do pátio do estacionamento do metrô Jabaquara, na Zona Sul de São Paulo. Com a chegada de mais funcionários, amigos e simpatizantes da banda, a agremiação carnavalesca cresceu e passou a desfilar pelo centro de São Paulo. Após o desfile, os participantes pegam um ônibus fretado e vão continuar a festa na Quadra dos Metroviários, no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo.

Percurso: Rua Augusta, Rua Martins Fontes, Rua Xavier de Toledo e Praça Ramos de Azevedo.

Bloco Umes Caras Pintadas – 11 de fevereiro – quinta-feira

É o bloco oficial da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (UMES SP). O desfile percorre algumas ruas dos bairros da Bela Vista e do Bixiga, na região central de São Paulo. Em 2010, o desfile começará às 19h da quinta-feira, dia 11 de fevereiro. A concentração será às 17h, no número 323 da Rua Rui Barbosa.

O bloco foi fundado em 1994 pela diretoria de cultura da entidade. O desfile pelas ruas do Centro de São Paulo tem como objetivo manter a tradição do carnaval entre os estudantes paulistanos.

Percurso: Rui Barbosa, Rua Santo Antônio, Rua 13 de Maio, Viaduto Armandinho do Bixiga e Rui Barbosa.

com informações do G1

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

Anúncios

Só quando cruzo a Ipiranga com a Avenida São João...

Quando você pensa em turismo no Brasil, que cidades lhes vêm a mente? Rio, Salvador, Recife, Florianópolis. Esqueçam todas elas e tentem adivinhar qual foi eleita a melhor capital para os turistas em pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas a pedido do Ministério do Turismo… São Paulo, a Terra da Garoa. Entre as cidades que não são capitais, Foz do Iguaçu ficou em primeiro e Ouro Preto em segundo.

Agora, vamos ver quais foram os critérios utilizados… a melhor aqui veio no sentido de mais bem estruturada. Realmente para quem gosta de um bom albergue, isso não é lá muito verdadeiro, pois só existem uns oito em toda a metrópole, mas a pesquisa avaliou 65 municípios em 13 aspectos, atribuindo notas de 0 a 100 a cada item. As cidades foram divididas em grupos de 27 (26 capitais e o Distrito Federal) e 38 (não capitais) e classificadas só dentro do próprio conjunto.

Os quesitos analisados foram economia local, capacidade empresarial, acesso (rodovias, ferrovias, aeroportos e transporte local) e serviços e equipamentos turísticos, que inclui sinalização turística, centro de atendimento ao turista, espaços para eventos, capacidade dos meios de hospedagem, dos restaurantes e do turismo receptivo e estrutura de qualificação para o turismo. Cada cidade foi visitada por pesquisadores da FGV durante cinco dias, entre julho e setembro de 2008.

O Rio de Janeiro, sede das Olimpíadas de 2016 e principal porta de entrada dos turistas no Brasil, só ficou em primeiro lugar no quesito ‘atrativos turísticos’, o que demonstra que muita coisa ainda precisa melhorar até lá.

Confira abaixo as melhores cidades em cada quesito:

Infraestrutura geral
.
Capital – Florianópolis
Não capital – Bento Gonçalves
Acesso
.
Capital – São Paulo
Não capital – Foz do Iguaçu
Serviços e equipamentos turísticos
.
Capital – São Paulo
Não capital – Foz do Iguaçu
Atrativos turísticos
.
Capital – Rio de Janeiro
Não capital – Ouro Preto
Marketing e promoção do destino
.
Capital – Belo Horizonte
Não capital – Foz do Iguaçu
Políticas públicas
.
Capital – Recife
Não capital – Porto Seguro
Cooperação regional
.
Capital – Natal
Não capital – Maraú
Monitoramento
.
Capital – Belo Horizonte
Não capital – Balneário Camboriú
Economia local
.
Capital – São Paulo
Não capital – Gramado
Capacidade empresarial
.
Capital – São Paulo
Não capital – Foz do Iguaçu
Aspectos sociais
.
Capital – Curitiba
Não capital – Ouro Preto
Aspectos ambientais
.
Capital – Curitiba
Não capital – Foz do Iguaçu
Aspectos culturais
.
Capital – Salvador
Não capital – Ouro Preto
Por um mundo sem carros

Por um mundo sem carros

O Dia Mundial Sem Carro é uma ideia muito bonita…  em Paris, Nova York, Londres, Madri, Tókio e outras cidades onde o transporte público funciona e te leva aos lugares onde você quer ir. Eu aderi ao movimento… e vim trabalhar de moto. Não sei se é bem isso que eles queriam dizer com o tal do ‘sem carro’, mas era o máximo que eu poderia fazer. Ontem, só porque eu sou do contra, eu vim de ônibus pela primeira vez desde que comecei a trabalhar no jornal. Pois bem, a jornada, que geralmente leva uns 15 minutos de moto e uns 20 de carro, levou mais de uma hora, tanto na ida quanto na volta. Além disso, por não haver pontos próximos à minha casa, tive que andar por mais de 15 minutos em cada trecho, debaixo de chuva, por ruas escuras e vazias… e isso é porque eu moro em ‘um bairro nobre da Zona Sul’, como diriam os jornais. Imagino quem mora na Zona Oeste do Rio, onde os poucos ônibus que existem, não te levam a lugar nenhum.
 
Acabei de chegar de Nova York, e lá eu só andava de metrô. Quando estive em Paris e Madri, também. Em Amsterdam, só à pé ou de bicibleta. Até em Barcelona, onde o metrô é muito bom mas nunca te deixa onde você quer ir, eu não peguei nenhum táxi. Acredito até que a vontade do brasileiro de aderir ao movimento exista, mas falta a infraestrutura para se fazer isso. No Rio, o metrô tem umas cinco estações e já não aguenta a demanda diária. Imagina se todo mundo resolvesse deixar o carro em casa… seria um caos nos subterrâneos da cidade.

O mapa do metrô do Rio

O mapa do metrô do Rio

Agora o de Nova York

Agora o de Nova York

E que tal o de Paris? Chega, fiquei deprimido

E que tal o de Paris? Chega, fiquei deprimido

Acredito que seja exatamente por isso que as notícias dos jornais em todo o Brasil tenham sido iguais… os políticos aderiram, para fazer média, mas a população nem quis saber. Vejamos algumas:
 
A Tarde – Salvador: Soteropolitanos não aderem ao Dia Mundial Sem Carro

Zero Hora – Florianópolis: Apesar do Dia Mundial Sem Carro, manhã teve congestionamentos em Florianópolis

Diário do Grande ABC – ABC Paulista: Grande ABC não adere ao Dia Mundial Sem Carro

Agência Anhanguera – Campinas: Trânsito caótico marca o Dia Sem Carro em Campinas

G1 – São Paulo: São Paulo tem 43km de lentidão às 11h no Dia Mundial Sem Carro

 
UAI – Belo Horizonte: Dia Mundial Sem Carro coincide com manhã de trânsito ruim em Belo Horizonte

Paes e sua GT estalando de nova. Deve ter estreado hoje

Paes e sua GT estalando de nova. Deve ter estreado hoje

Em todo o Brasil, foi um festival de autoridades indo trabalhar de ônibus ou bicicleta. Vereadores de Fortaleza, o prefeito paulista Gilberto Kassab, o ministro das cidades, Márcio Fortes… todos unidos para fazer um mundo livre desse mal de quatro rodas. Andar de bicicleta uma vez por ano é legal, quero ver construir metrô, reduzir a bandalheira no trânsito, organizar essa máfia das linhas de ônibus. O melhor de todos, porém, foi o prefeito carioca Eduardo Paes. Ele marcou de encontrar com a imprensa durante a pedalada, mas foi até o lugar em uma bicicleta elétrica. Pouco antes de se encontrar com os repórteres, trocou por uma bicicleta normal, achando que ninguém tinha visto. Para azar dele, a TV Brasil flagrou a malandragem. Desmascarado, Paes afirmou que não tinha preparo físico para fazer a subida da Vista Chinesa, onde fica a residência oficial, e tinha apelado para o veículo motorizado, mas não poluente. Ele também disse que não voltaria para casa pedalando, já que sai tarde da prefeitura. Fanfarrão como sempre, disse que pretende repetir a experiência ao menos duas vezes por semana… uhun, eu acredito.

Preview da nova ferramenta do Google com os ônibus do Rio

Preview da nova ferramenta do Google com os ônibus do Rio

Enquanto isso, o governador de São Paulo, José Serra, voava em seu helicóptero e usava o carro como se nada estivesse acontecendo. Pelo menos não é hipócrita. Já o governador carioca, Sérgio Cabral, aproveitou a data para anunciar uma parceria com o Gooooogle no desenvolvimento de uma ferramenta que, baseada no Gooooooogle Maps, vai listar o itinerário de todos os ônibus da Região Metropolitada do Rio e auxiliar na hora de preparar um roteiro pela Cidade Maravilhosa. Em uma cidade como a do Rio, em que as linhas são desorganizadas, com muitos ônibus na Zona Sul e muito poucos nas zonas mais pobres, e onde o lobby das empresas, aliado a políticos com pouca vontade de enfrentá-lo, impede uma reorganização geral, a notícia não chega a empolgar. Ok, agora pelo menos poderemos ver a m… que é o sistema de ônibus da cidade e constatar que, para chegar do ponto A ao B, teremos que passar antes pelo X e Y, para que as empresas possam lucrar mais uns trocados no caminho.

camboriu1Na falta de neve, trenó de montanha… Um teleférico para apreciar a belíssima vista das praias de Balneário Camboriú já seria uma excelente idéia, mas o pessoal do Parque Unipraias resolveu ir além e construiu um trenó de montanha radical, com uma descida de 710 metros por um trajeto sinuoso cortando a mata atlântica. O carrinho, para duas pessoas, é guiado por trilhos e pode atingir velocidades de até 60 km/h. Se você preferir curtir o passeio à adrenalina, há um sistema de freios que pode ser acionado pelo próprio condutor.

A atração, batizada de Youhooo!, comemora os dez anos de fundação do Parque Unipraias, um complexo turístico de 85 mil metros quadrados onde você também pode praticar arvorismo e caminhar por passarelas ecológicas. O brinquedo custou aos cofres do Unipraias a bagatela de R$ 3,5 milhões. A subida conta com três estações interligadas por 47 bondinhos com capacidade para seis pessoas. Para descer, gritando youhooo!!!!, são 30 trenós fabricados pela empresa alemã Wiegand.

Quem vai gostar da novidade é a amiga blogueira Carol Wieser, catarinense de nascença e que adora quando nós falamos do estado natal dela.

Aproveitei que estava escrevendo sobre teleféricos para dar uma pesquisada em outros pelo Brasil. As opções são muitas. Não preciso nem falar do Pão de Açucar, um dos mais famosos do mundo, então vamos a eles:

Campos do Jordão

Campos do Jordão

Campos do Jordão – SP
Achei um site dizendo que foi o primeiro teleférico turístico do Brasil, mas como não achei a data de inauguração e não confirmei a informação, não vou dar certeza. O passeio de 600 m da Vila Capivari ao Morro do Elefante dura 10 minutos e é feito em cadeirinhas individuais. O valor é de R$ 8,00 por viagem.

.

canelaCanela – RS
São 830 metros de viagem em cadeirinhas para uma ou duas pessoas. A volta dura aproximadamente 20 minutos, e os visitantes podem desembarcar nos mirantes com vista para o Cânion da Cascata e o Vale da Lageana. Na descida, tem-se uma visão frontal da Cascata do Caracol, que eu não conheço pessoalmente mas dizem ser belíssima. O ingresso para o Parque do Caracol com direito ao passeio fica em R$ 16,00. Se você tem medo de altura e quiser apenas visitar o parque, vai desembolsar R$ 5,00.

Desde os meus posts sobre os problemas nos cruzeiros marítimos este ano, tenho evitado falar em acidentes. Mas o fato é que em novembro de 2008 aconteceu um no teleférico de Canelas onde oito pessoas ficaram feridas quando as cadeirinhas descarrilharam. Quem quiser, clique aqui para ler a reportagem.

.

alpen_parkTambém em canela fica o Alpen Park, até então o único parque brasileiro com trenós de montanha. A pista tem 950 metros e funciona do mesmo jeito que a de Balneário Camboriú, com trilhos e sistema de freios para os mais calminhos. Para retornar ao ponto de partida, em vez de um teleférico, há um sistema de içamento do próprio carrinho. O preço fica em R$ 14,00 por pessoa ou R$ 23,00 em trenó duplo. O parque oferece ainda tirolesa, arvorismo, escalada e passeios de quadriciculo.

saovicenteSão Vicente – SP
Ligando a Praia do Itararé ao Morro do Voturuá, o passeio tem 750 metros de extensão, chegando a uma altura de 180 metros. Do mirante pode-se ver toda a Praia do Itararé, a Ilha Porchat e a Praia do José Menino, em Santos. O ingresso custa R$ 10,00.

.

Friburgo

Friburgo

Friburgo – RJ
O pessoal de Friburgo se gaba de ter o maior teleférico de cadeirinha do país. São 850 metros de comprimento emum percurso feito em dois estágios. No primeiro mirante, a 160 metros, é possível desfrutar de uma boa infraestrutura de hotel, com restaurante, boliche e parque infantil. No segundo, o chamado Mirante do Morro da Cruz, a 460 metros de altura, a atração fica por conta da vista para a cidade e a serra de Friburgo.

O favorito
Como bom carioca, nem preciso dizer que o bondinho do Pão de Açucar é o melhor e o mais bonito. então, como ele é hors concours, vamos falar do teleférico de Montjuïc, em Barcelona.

Teleférico de Montjuïc

Teleférico de Montjuïc

O percurso atravessa o porto de Barcelona, desde a Torre de San Sebástian, em Barceloneta, até o mirante de Miramar, no morro de Montjuïc (Monte Judeu em catalão), a 173 metros de altura, onde está localizado o castelo de Montjuïc, com o seu museu militar. O passeio dura em torno de 10 minutos e custa 6 Euros. A atração foi construida em 1929 para a exposição mundial e sofreu uma grande renovação em 2004, com carros mais modernos e mais rápidos (para mim, eles poderiam ser mais devagar, porque a vista lá de cima é de tirar o fôlego). Em Montjuïc fica também um dos meus lugares favoritos de Barça, a Font Màgica… lá também fica o Jardim Botânico, o Palau Nacional, o Estadi Olímpic e a Fundação Juan Miró, um dos meus artistas favoritos… Pois é, me empolguei. Acho que eu vou ter que fazer um post só sobre a cidade para falar tudo isso e matar um pouco das saudades.

Quer saber sobre o megateleférico de Cape Town… então leia esse post aqui

Se você já tem medo de entrar em um bondinho, então melhor nem ver esse vídeo:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Tem alguma outra dica de teleférico ou já visitou algum destes? Clique aqui e deixe o seu comentário

Se você veio parar nesse post direro de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Beach Park - Fortaleza, CEO Brasil é rico em praias, rios e lagoas onde podemos curtir um sol e nos refrescar na água sem ter que pagar nada por isso. Então por que alguém vai se enfurnar em um parque aquático tendo que gastar um dinheirão de entrada? Ora, porque é divertido…

A ideia (sem acento por causa do acordo ortográfico. O word fica querendo me corrigir… idiota) não pegou no Rio de Janeiro, onde o Wet ´n´ Wild e um outro, que eu já até esqueci o nome, fecharam as portas. Realmente, por mais divertido que seja, carioca gosta mesmo é de praia.

Pensando aqui, lembrei que em São Paulo tinha o ‘Waves’, que eu fui e era bem fraquinho, que também encerrou suas atividades.

Selecionei aqui alguns dos melhores do Brasil para vocês. Para saber sobre os parques aquáticos da Disney, visite o meu post ‘O mundo encantado de Walt Disney’.

Hot Park - GO

Hot Park - GO

Águas Quentes Hot Park – GO
Vou começar pelo que eu conheço, o Águas Quentes Hot Park, em Caldas Novas, Goiás. Estive lá há uns três anos para tocar no festival de verão deles. Acho que o pessoal de lá não curtiu muito escutar o meu house, mas eu adorei colocar um som à beira de uma piscina gigante debaixo do sol do cerrado.

O lugar é enorme, com seis hotéis e algumas pousadas em volta do parque. O legal é que você nem precisa sair do aconchego do lugar onde está hospedado para curtir as piscinas aquecidas naturalmente. Cada hotel da região conta com o seu próprio complexo aquático, com a água variando de temperatura conforme a piscina que você escolhe. Um detalhe aqui… se você gosta de banho frio, esqueça. Até a água da privada é aquecida.

DJ Pedro Serra @ Hot Park

DJ Pedro Serra @ Hot Park

No parque em si, rio artificial, piscina de ondas, área para crianças e diversos tobogãs e piscinas. Se você quiser tomar um choppinho ou comer alguma coisa, não precisa nem sair da água: os garçons levam tudo para você. Confesso que fiquei enrugado o fim de semana inteiro.

Infos –
Endereço
: Rio Quente Resorts, Fazenda Água Quente s/n, Rio Quente, GO
Preços: Adulto, R$52,90. Infantil (até 11 anos) R$36,90
Horário: das 9h30 às 17h
Site:www.rioquenteresorts.com.br

Águas Quentes - RJ

Águas Quentes - RJ

Águas Quentes Resort – RJ
No Rio há um resort homônimo ao de Goiás. O Águas Quentes daqui tem 160 mil m2 e pode receber até sete mil pessoas por dia (Deus me livre de pegar um dia com essa quantidade de gente). O parque fica em Dorândia (onde???), a umas duas horas da capital.

Tal qual o seu xará do Centro-Oeste, tem tobogãs, piscinas e afins, e você pode pedir seus petiscos sem sair da piscina.  A principal atração do local é o tal do Kilimanjaro, um toboágua de 50 metros de altura – mais ou menos um prédio de 13 andares. A descida (ou queda) dura apenas 5 segundos e, se você tiver ficado uma hora na fila, decepciona.

Infos –

Endereço: BR 393, KM 270, Dorândia, Barra do Piraí, RJ
Preços: Visitantes não-associados ao parque R$ 55,00
Horário: aberto de terça a domingo, das 9h às 18h
Site: www.aguasquentes.com.br

Wet ´n´Wild - SP

Wet ´n´Wild - SP

Wet ‘n’ Wild – SP
O Wet ´n´Wild pode não ter dado certo no Rio, mas em São Paulo ele vai bem, obrigado. Só em 2007 foram mais de 350 mil visitantes, o recorde dos seus dez anos de funcionamento. O parque fica a apenas 30 minutos de São Paulo e 15 de Campinas, e tem apenas 12 atrações, divididas pelo grau de emoção que você quer ter.

Endereço: Rodovia dos Bandeirantes, km 72, Itupeva, São Paulo.
Preços: de R$ R$ 36,50 a R$ 65 por pessoa. Além dos ingressos individuais, o parque também dispõe de um passe que garante ao seu portador a entrada quantas vezes quiser durante a temporada, exceto em shows e nos 4 dias de carnaval. Estacionamento: R$ 5 (motos) e R$ 12 (carros).
Horário: em dezembro o parque funciona de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 10h às 18h. No mês de janeiro: aberto todos os dias das 10 às 18h
Site: www.wetnwild.com.br

Rainbow Falls - SP

Rainbow Falls - SP

Rainbow Falls – SP
Também em São Paulo, a 45 km da capital, em Ribeirão Pires, fica o Rainbow Falls. Além das atrações deste tipo de parque, há um campo de futebol, quadra poliesportiva, local para churrasco e trilhas ecológicas.

O parque não conta com local de hospedagem próximo e eles às vezes alugam o parque inteiro para festas e eventos, então é bom dar uma ligadinha para lá antes de ir para ver se eles estão abertos ao público.

Infos –

Endereço: Estrada da Varginha, 900 – Ouro Fino Paulista, Ribeirão Pires – São Paulo.
Preços: O ingresso custa R$ 18 (crianças até 4 anos não pagam quando acompanhadas de um adulto pagante). O restaurante serve comida por quilo (R$ 16 o kg). O estacionamento é gratuito.
Horário: sábados, domingos e feriados das 9h30 às 17h
Site: http://www.rainbowfalls.com.br

Agora vamos a alguns parques aquáticos que ficam próximos a praias, para mostrar que isso realmente pode dar certo e que no caso do Rio foi por causa da cultura carioca.

Beach Park - CE

Beach Park - CE

Beach Park – CE
A 15 km de Fortaleza, em Porto de Dunas, fica o Beach Park. São 35 mil m2, oito áreas temáticas e 78 brinquedos, entre tobogãs, piscinas, chafarizes e um ‘balde’ que a cada hora provoca uma enxurrada de 1,8 mil litros de água. A principal atração de lá é o Insano, um toboágua onde você chega a velocidades de até 104km/h (mais um daqueles brinquedos onde você fica horas na fila e desce em 5 segundos).

Como fazem os parques americanos, o pessoal do Beach Park criou personagens, como o Zé Patola, um  caranguejo descolado; Lola, uma lagosta paquerada por todos; e o trio de pinguins (word idiota… tenho que brigar com ele para escrever sem o trema) – Hugo, Beto e Raul (qualquer semelhança com a Disney não deve ser mera coincidência).

Infos:
Endereço
: Rua Porto das Dunas, 2734, Aquiraz, CE
Preços: Adulto- R$ 80. Infantil: R$ 70
Horário: Alta estação: aberto todos os dias, das 9h30 às 17h30. Baixa Estação: usualmente aberto de sexta à terça, 9h30 às 17h30
Site:www.beachpark.com.br

Aquamania - ES

Aquamania - ES

Aquamania – ES
Se você está curtindo o verão na bela praia de Guarapari, com toda a agitação da cidade e tal, dificilmente vai pensar em visitar um parque aquático. Mesmo assim, aí vão as informações. O Aquamania tem tudo aquilo que os outros parques tem e oferece programas de ecoturismo e esportes de aventura. Como os outros, há uma atração de nome ameaçador, onde você enfrenta a fila e desce em cinco segundos. Lá o nome do troço é Kamikase. Há também um hotel dentro do parque.

Infos:
Endereço
: Rodovia do Sol – km 32 / BR 101 – km 319, no distrito de Amarelos, município de Guarapari, Espírito Santo. Rua Cabo Aylson Simões, 490, Centro, Vila Velha.
Preços: ingressos individuais de R$ 19 a R$ 25 (grupos acima de 20 pessoas podem fazer reserva antecipada e ganhar desconto no valor). O pagamento só pode ser feito em dinheiro ou cheque.
Horário: sábados, domingos e feriados das 9h30 às 16h (o parque fica fechado no mês de junho).
Site: http://www.acquamania.com.br

Veneza - PE

Veneza - PE

Veneza Water Park – PE
Na praia de Maria Farinha, em Pernambuco, a 20km de Recife, fica o Veneza Water Park. Confesso que nesse eu fui, mas aí é diferente. Eu tenho família na cidade e ia para lá todo ano. Em uma dessas vezes, resolvi visitar o parque porque já conhecia todas as praias da região e tal. Devo dizer que me diverti muito e que valeu a pena.

O parque tem 90 mil metros quadrados e 10 milhões de litros d´água espalhados por piscinas de todos os tipos. Aqui também há um Kamikase, com 25 metros de altura e velocidades de até 80 km2. De resto, tudo que um bom parque aquático tem a oferecer.

Infos –
Endereço: Av. Cláudio Gueiros Leite nº 10.050 – Praia de Maria Farinha,  Paulista – Pernambuco
Tel/Fax : (81) 3436-6363
Horário de Funcionamento : 09:00 às 17:00 horas.
Site:   www.venezawaterpark.com.br

Eco Park - BA

Eco Park - BA

Eco Park – BA
Em frente à praia do Mucugê, em Arraial d´Ajuda, fica o Eco Park. Piscinas, brinquedos, arvorismo, escalada e etc. fazem parte das atrações. Os equipamentos aqui são da mesma empresa que fornece para a Disney, o que garante uma certa qualidade.

Infos
Endereço
: Estrada da Balsa, Km 4,5 – Arraial D’Ajuda, Porto Seguro – BA
Preços: de R$ 25 a R$ 49. Deficientes físicos não pagam entrada. O pagamento pode ser feito em real (R$), dólar (U$) e euro (E$). O parque aceita os seguintes cartões de credito: Visa, Mastercard, Diners e Rede Shop. Estacionamento gratuito com capacidade para 200 veículos.
Horário: das 10h às 17h, de acordo com o calendário de funcionamento, sujeito a alterações.
Telefone: (73) 3575-8600
Site: http://www.arraialecoparque.com.br

Cascanéia -SC

Cascanéia -SC

Cascanéia – SC
Santa Catarina também tem os seus parques. Um deles é o Cascanéia, localizado em Gaspar, a 116kms de Florianópolis. A infra-estrutura lá parece ser menor, mas eles estão fazendo obras e aumentando o parque.

Infos:
Endereço: José Patrocínio dos Santos, 2355, Bairro Belchior, Gaspar, SC
Preços: Diária do hotel a partir de R$ 200,00 o casal com café e jantar. Ingresso ao parque a partir de R$ 16,00 por pessoa
Horário: Do dia 27/10/07 a março de 2008 aberto todos os dias das 9h às 19h. Nos meses de abril e maio de 2008, apenas em feriados e finais de semana. De junho a setembro, consultar
Site:http://www.cascaneia.com.br

Cascata Carolina - SC

Cascata Carolina - SC

Cascata Carolina – SC
O outro da região é o Cascata Carolina, que também fica em Gaspar. O parque é uma estância hidromineral com 40 mil m2, toboáguas, piscinas e todas essas coisas, além de uma trilha ecológica que você pode fazer acompanhado por um biólogo.

Infos:
Endereço: Estrada Carolina, 600 – Gaspar
Funcionamento:
Diariamente das 9:00 às 19:00 horas (Horário de Verão)
Diariamente das 9:00 às 18:00 horas (Horário Normal)

Aguamania – Foz do Iguaçu – PR
Pois é… após todos os parques ao lado de praias, vamos a um que fica ao lado de uma cachoeira. E não é qualquer cachoeira, são as cataradas do Iguaçu. O parque tem apenas 20 mil m2, mas conta com toboáguas, piscinas e afins. O local só abre entre outubro e março (também, no resto do ano deve estar um frio de dar dó).

Infos:
Endereço: Av.das Cataratas, km 6.5
Telefone: (45)3529-8272
Funcionamento: Outubro a Março de Quarta a Domingo. De Quarta a Sexta feira das 10:00 as 17:30 Horas Sábados, Domingos e Feriados das 10:00 as 19:30 Horas

Se você veio parar nesse post direro de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Após uma exaustiva pesquisa na internet e com amigos da Terra da Garoa, cheguei à conclusão que São Paulo, apesar do seu tamanho, tem uma deficiência de hospedagens para mochileiros. Enquanto a minha Lista de Albergues do Rio de Janeiro já conta com mais de 50 estabelecimentos, a de São Paulo tinha apenas cinco quando eu fiz este post pela primeira vez. No entanto, o boom dos albergues que assolou o Rio nos últimos anos, parece finalmente estar chegando, devagar e sempre, à terra da garoa. Encontrei mais uns quatro em pesquisas recentes. O número ainda é pequeno, mas deve aumentar esse ano. Conforme eles forem aparecendo, eu vou colocando aqui.

Para dar mais opções de hospedagem aos que querem visitar a cidade, preparei uma lista alternativa, com os hotéis baratos na cidade. Selecionei apenas aqueles onde o valor da hospedagem não ultrapassasse R$100 por pessoa ou R$150,00 por casal. Os valores realmente ficam bem acima das diárias em um albergue, mas como as opções deste tipo de hospedagem são poucas, você pode se ver obrigado a procurar abrigo em um destes hotéis econômicos. (os preços podem estar defasados. Prometo refazer a pesquisa quando voltar das férias, no meio de setembro).

Para os que me mandam perguntas sobre albergues próximos a rua 23 de março, 14 de fevereiro, 45 de abril e tal, devo confessar que conheço menos São Paulo do que gostaria. Minha dica é, use o Goooogle Maps, o melhor amigo de quem está se preparando para viajar, e pesquise o entorno do local onde você quer ficar. 

Vamos começar pelos albergues então:

Lista de Albergues de São Paulo –

Casa Club Hostel & Bar
Rua Mourato Coelho 973, Vila Madalena – A partir de R$40
(0xx11) 3798-0051

Lime Time
A partir de R$ 35,00
Rua 13 de maio, 1.552 – Bela Vista
(11)2935-5463

Praça da Árvore Hostel (HI)
46 leitos – R$26,00
Rua Pageú, 266 – Metrô Praça da Árvore
(0xx11) 3589-5319 / 5071-5148

Pousada dos Franceses (fotos)
46 leitos – R$30,00
Rua dos Franceses, 100 – Bela Vista
(0xx11) 3288-1592 / 3567-6212

franceses.jpg

Pousada e Albergue São Paulo
44 leitos – R$31,00
Avenida Rebouças, 1015 – Jardins
(0xx11) 6841-1115

Sampa Hostel (HI)
A partir de R$ 35,00
Rua Girasol, 519 – Vila Madela
(11)3031-6779

sao_paulo_hostel.jpg São Paulo Hostel Downtown (HI) (foto)
120 leitos – R$29,00 (HI – R$25,00)
Rua Barão de Campinas, 94 – Campos Elíseos
(0xx11) 3333-0844

Ace Bed & Breakfast

R$40,00
Rua Gastão da Cunha, 253 (metrô Conceição)
(0xx11)- 2248 0534 / 5032 1540

Vila Madalena Hostel
A partir de R$ 40,00
Rua Francisco Leitão, 686 – Pinheiros
(11)3034-4104


– Agora os hotéis baratos –


hotel america do sul  Hotel América do Sul (foto)
A partir de R$38,50
Pça. Júlio Mesquita, 90/108 – Centro
(0xx11) 3223-6699

Hotel Terra Nobre
A partir de R$57,00
Rua Barão de Campinas, 146 – Centro
(0xx11) 3331-0522

Option Hotel
Casal – R$55,00 / Solteiro R$55,00
Rua Alfredo Pujol, 1230 – Santana

Hotel Manchete
A partir de R$42,00
Av. São João, 1124, Santa Efigênia
(0xx11)3337-1323

Nacional Inn
A partir de 60,39
Av. Casper Líbero, 125 – Centro
Reservas (0xx16) 3632-0330

maison florence hotel Maison Florence Hotel (foto)
Casal – R$50,00 / Solteiro R$50,00
Av.Ataliba Leonel, 1478/84 – Santana
(0xx11)6979-9362

Hotel Dan
A partir de R$68,31
Av. Consolação, 800 – Centro
(0xx11) 3257-1500

Nobilis Express Hotel

A partir de R$78,75
Rua Santa Ifigênia, 72
(0xx11)3311-7272
http://www.hotelnobilis.com.br/
Real Castilha Hotel
A partir de R$85,20
Rua dos Timbiras, 472 – Centro
(0xx11)3331-9455

Uniclass Hotel
A partir de R$81,90
Av. Ipiranga, 1152 – Centro
(0xx11) 3228-4188 / 3326-6045

Hotel Apolo

A partir de R$80,00
Rua dos Timbiras, 483 – Centro
(0xx11) 3331-9333

Hotel Windsor São Paulo
A partir de R$84,00
Rua dos Timbiras, 444 – Centro
(0xx11) 3331-5411

Hotel Castelar
Casal – R$90,00 / Solteiro – R$70,00
Rua Aurora, 541
(0x11)2145-6611

Hotel Ipanema Inn (foto)
A partir de R$90,00
Rua Maria Antonia, 190 – Higienópolis
(0xx11) 3255-3144

ipanema_inn_hotel.jpg

Hotel Formule 1

Jardins
Casal – R$89,00 / Solteiro – R$89,00
Av. Nove de Julho, 3597 – Jardins
(0xx11)3886-4600

Paraíso
Rua Vergueiro, 1571 – Paraíso
(0xx11)5085-5699

Consolação
Rua da Consolação, 2303 – Consolação
(0xx11) 3123-7755

Centro (foto)
Casal – R$79,00 / Solteiro – R$79,00
Av. São João, 1.140 – Centro
(0xx11) 6878-6400

hotel formule 1

Liau Hotel Guinza
A partir de R$96,25
Rua Galvão Bueno, 700 – Liberdade
(0xx11)3385-5500

Hotel Eldorado Boulevard
Casal – R$120,00 / solteiro – R$98,00
Avenida São Luis, 234 – Centro
(0xx11)3214-1833

Solar do Marquês (foto)
Casal – R$120,00 / Solteiro – R$105
Rua Marquês de Itú, 816
(0xx11)3333-3058

hotel solar do marques

Augusta Park Hotel
Casal – R$120,00 / Solteiro R$104,00
Rua Augusta, 922 – Consolação
(0xx11) 3124-4400

Paulistânia Flat Set
Casal – R$109,00 / Solteiro – R$99,00
Alameda Casa Branca, 343 – Jd. Paulista
(0xx11) 6763-6100

Heritage Residence Service
Casal – R$114,00 / Solteiro R$99,00
R.Fernando de Albuquerque, 122
(0xx11)3258-4088

San Michel Hotel
Casal – R$115,00 / Solteiro R$99,00
Largo do Arouche, 200
(0xx11)3223-4433

Paulista Center Hotel
Casal – R$104,50 / Solteiro R$94,50
Rua da Consolação, 2567 – Consolação
(0xx11) 3062-0733

Normandie Design Hotel (fotos)
Casal – R$115,00 / Solteiro R$88,00
Av.Ipiranga, 1187
(0xx11)3311-9855

normandie design hotel

Lorena Hotel Internacional
Casal – R$114,00 / Solteiro R$99,00
Av. Rebouças 955 – Jardins
(0xx11) 3069-0000

Confesso que conheço mais museus fora do que dentro do Brasil… não, não é nada do que me orgulhar. Afinal sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor. Mas acredito que isso tem dois motivos. O primeiro é que, quando viajamos, queremos conhecer mais esse tipo de lugar. E tendo morado nos Estados Unidos e feito um tour pela Europa, museus é que não faltaram para mim lá fora. O segundo é que os museus brasileiros, muitas vezes, não empolgam muito.

Recentemente estive em Tiradentes e fiquei decepcionado ao visitar o Museu Padre Toledo. O Padre foi um dos Inconfidentes e a casa era uma das mais ricas da então Vila de São José Del Rei. Mas o museu conta com uma meia dúzia de peças envelhecidas e não conta muito a história do que aconteceu ali. Eu logo fiz uma comparação com o museu da Batalha de Gettysburg, na Pennsylvania, EUA, onde o museu, na verdade, é a cidade inteira. No que foi o campo de batalha, há pessoas vestidas como na guerra. Na casa do museu propriamente dito, há mapas explicativos, objetos, roupas da época, gravuras, etc, etc, etc, contando tudo o que aconteceu, como aconteceu, porque aconteceu e quando aconteceu. Ok, o investimento lá é muito maior. Mas nós temos criatividade… Tiradentes recebe milhares de visitantes por ano, não deveria se basear apenas na arquitetura e na Maria Fumaça para entreter seus visitantes, deveria contar um pouco melhor sua história.

Menino com Peão - Reynaldo FonsecaQuanto à arte, temos excelentes artistas nacionais… Candido Portinari, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral e muitos, muitos outros. Eu sou primo (de segundo grau) de dois grandes pintores pernambucanos de projeção internacional. Qualquer apartamento dos membros da minha família é uma verdadeira exposição de obras de Reynaldo Fonseca e Lucia Helena. Cresci vendo seus quadros. Reynaldo foi aluno de Candido Portinari e me lembro de, durante minha infância, ter medo de andar pela sala à noite por causa dos olhos nos quadros, que seguiam meus passos.

Leque - Reynaldo Fonseca

Quadros de Reynaldo Fonseca. À direita, Menino com Peão, à esquerda, Leque.

 

 

Mas vamos aos museus então…

A página Guia dos Museus tem links para os principais museus do Brasil, dividido por estados. Infelizmente o cara que fez a página quis ganhar uns trocados e colocou alguns pop-ups… mas se você usa um bloqueador, não deve ter problemas. Tentei localizar outras páginas, mas nenhuma era tão completa ou estava tão atualizada com os links… mesmo nesta página, muitos dos links estão quebrados, então você tem que se virar para achar… eu tentei aqui dar uma ajudinha, colocando sempre os links para páginas mais completas quando o Guia dos Museus falhava.

Aqui vão algumas dicas de museus que visitei ou que acho interessante:

Rio de Janeiro:

Urutu - Tarsila do AmaralMAM – Museu de Arte Moderna – Um incêndio em 1978 destruiu boa parte de um acervo que contava com peças de Picasso, Salvador Dali, Miró, Max Ernst, entre outros. A solidariedade de artistas, governos e colecionadores ajudou o museu a voltar a funcionar, mas foi a doação de Gilberto Chateaubriand, em 1993, que realmente colocou o museu de volta à cena. Hoje o MAM conta com em seu acervo com obras de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral (o Urutu, imagem à direita), Lasar Segall, Di Cavalcanti, Ismael Nery, Vicente do Rego Monteiro, Cândido Portinari, Pancetti, Goeldi e Djanira, além de uma grande exposição de mais de quatro mil obras de fotógrafos brasileiros e exposições temporárias.

MAC NiteróiNiterói:

MAC – Museu de Arte Contemporânea – O prédio do museu já é uma obra de arte. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, parece um disco voador, emoldurado pela Bahia de Guanabara, com uma belíssima vista para o Rio de Janeiro. O acervo do MAC conta com 369 obras próprias e 1.217 obras da coleção de João Sattamini, que incluem artistas como Hélio Oiticica, Amílcar de Castro, Carlos Vergara, entre outros.

Petrópolis:

Museu Imperial – O museu é a antiga casa de verão de Dom Pedro II, na cidade por ele criada com um nome que o homenageia. Petrópolis, a cidade de Pedro. Documentos, móveis e objetos fazem parte do acervo, além do próprio palácio e seus muitos quartos. Uma das curiosidades é que o visitante tem que calçar pantufas para andar pelo museu, para não estragar o chão de madeira. É comum vê-los deslizando pelos cômodos. O museu também oferece um show, que ilumina o palácio de diferentes formas ao som de música.

São Paulo:

A Estudante - Anita Malfati (MASP)MASP – Museu de Arte de São Paulo – Outro que tem o prédio como uma obra de arte. O forte de seu acervo está nas obras francesas e italianas. O museu possui a maior e mais completa coleção de obras de arte ocidental da América Latina. No lado dos Italianos, podemos citar obras de Sandro Botticelli, Paolo Veronese, Alessandro Magnasco, Giovanni Boldini, entre muitos outros. Entre os franceses, nomes como Nicolas Poussin, os impressionistas Manet, Degas, Cézanne, Monet e Renoir, o fauvista Matisse e o cubista Picasso. Também estão lá obras de Max Ernst, Goya e meus favoritos Miro e Van Gogh. Ahhh… tem brasileiros também. Esculturas de aleijadinho, pinturas de Portinari, Lasar Segal, Anita Malfatti(A Estudante, imagem à direita), Di Cavalcanti. Tem ainda arte asiática, africana, inglesa, americana… fotografia, arqueologia, moda e vestuário, biblioteca… uff uff uff.

Paisagem - Tarsila do Amaral (MAM-SP)MAM – Museu de Arte Moderna – Apesar de se autodenominar de arte moderna, o museu reúne um acervo de quatro mil obras de arte contemporânea brasileira, entre elas, pinturas de Candido Portinari, Emiliano Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral (Paisagem, imagem à esquerda) e Victor Brecheret.

Belo Horizonte:

MAP – Museu de Arte da Pampulha – Mais um prédio projetado por Oscar Niemeyer, centro do denominado “conjunto arquitetônico da Pampulha”, proposto por Juscelino Kubitscheck. Seus jardins foram projetados por Burle Marx e conta com esculturas de August Zamoyski, José Pedrosa e Alfredo Ceschiatti. O museu se destaca mais por organizar exposições de arte contemporânea do que por seu acervo, mas conta com obras de Portinari, Di Cavalcanti e Alfredo Volpi.

Recife:

Instituto Ricardo Brennand – Um castelo Medieval no meio de Recife já é o suficiente para instigar uma visita a este museu. Mas a visão de Ricardo Brennand era maior do que apenas uma construção megalomaníaca e lá se encontram uma exposição de armas brancas e armaduras medievais, uma pinacoteca com obras do pintor holandês Albert Eckhout, que veio ao Brasil durante o século 17 retratar paisagens e cotidiano, e uma biblioteca composta por obras raras que pertenceram ao historiador José Antônio Gonçalves de Mello e ao escritor Édson Nery da Fonseca

Instituto Ricardo Brennand - Recife

Manaus:

Teatro AmazonasMuseu do Teatro Amazonas – Construído nos estilos neo-clássico e art-noveau durante o ciclo da borracha, no final do século 19, o prédio possui em sua arquitetura ornamentos que fazem referências a compositores e dramaturgos clássicos como Mozart, Chopin, Rossini e Moliére.

Ok… vou parar por aqui… o resto é com vocês. Se alguém tiver alguma dica para dar, sinta-se a vontade para usar os comentários… afinal eles estão ai para isso mesmo