Pernambuco


Pois é… chegou a hora de dizer adeus a este blog aqui. Ele ficou pequeno para as minhas ideias mirabolantes. A vontade de ter uma área de vídeos, anúncios, incorporar isso, aquilo e organizar tudo de uma forma completamente diferente acabou me levando a sair do wordpress.com… e ir para o wordpress.org. Foram noites em claro quebrando a cabeça tentando desvendar aqueles códigos em html, php, css e sei lá o quê só para trocar a cor de uma simple fonte. Agora está tudo lá, e vocês podem conferir no meu novo domínio blogsemdestino.com. Alguns links ainda estão quebrados, algumas coisas ainda insistem em sair do lugar, mas isso é algo que ainda vai me levar um tempo até deixar 100%, e uma coisa que eu aprendi nesses meus anos de jornalismo é a “trocar o pneu com o carro andando”. Se ficarmos pensando muito, a ideia não sai do papel. Se tem algum post que voce gosta aqui, não se preocupe, ele já está lá… então, without further ado, visitem, aproveitem, leiam, comentem, critiquem (pero no mucho) e, principalmente, divirtam-se com o novo Sem Destino.

Se você assina o RSS feed do semdestino.wordpress, mude sua assinatura para o blogsemdestino.com. Se ainda não assina, está esperando o quê??? É só clicar no link na página principal do novo blog.

ESTE BLOG MUDOU-SE PARA BLOGSEMDESTINO.COM

Anúncios
Poligono da Maconha

Poligono da Maconha

A cidade de Itacuruba fica bem no meio do famoso Polígono da Maconha, uma área de quase 70 mil metros quadrados na divisa entre a Bahía e Pernambuco composto pelas cidades de Santa Maria da Boa Vista, Petrolina, Cabrobó, Orocó, Belém de São Francisco e Floresta. Lá, quem manda são os bandidos. Nesta semana a cidade apareceu no noticiário, mas não foi nas páginas de polícia por causa de algum assassinato, e sim nas de viagem. Pois é, Itacubira vai entrar na rota do turismo científico.

Três observatórios estão sendo instalados no município, sendo que um deles vai rastrear a aproximação de asteróides em rota de colizão com a terra. O local foi escolhido devido ao baixo índice pluviométrico e porque as cidades em volta têm menos de 30 mil habitantes, ou seja, menos poluição e luzes para atrapalhar a observação astronômica.

Um dos observatórios

Um dos observatórios

O prefeito Romero Magalhães está dando pulos de alegria com a entrada de Itacuruba no mapa turistico: ‘Acredito que vai haver um interesse natural de professores, estudantes universitários e até mesmo crianças em conhecer os observatórios’, disse ele. O problema que eu vejo aí é um só: como os turistas vão chegar a um lugar onde as estradas vivem desertas e os ônibus só andam em comboio e com escolta policial?

Ônibus escoltado

Ônibus escoltado

É isso mesmo, a cena é comum por lá. Os ônibus chegam mais cedo ao posto policial e esperam a fila formar. Os passageiros são aconselhados a permenecer dentro dos veículos. Na frente e atrás do comboio segue uma escolta de policiais com coletes à prova de balas e armados com fuzis e metralhadoras.

O clima de faroeste por lá gerou até uma situação inusitada durante a construção dos observatórios. Os responsáveis tiveram que explicar à população que as lentes do equipamento não eram canhões militares virados para eles.

O observatório municipal, o único que será aberto à visitação do público, está nos acabamentos e deve ser inaugurado ainda neste semestre.

Você visitaria um observatório no meio do Poligono da Maconha? Deixe o seu comentário.

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ficar por dentro das últimas notícias fresquinhas aqui do blog, clique aqui para assinar o RSS Feed do Sem Destino.

Beach Park - Fortaleza, CEO Brasil é rico em praias, rios e lagoas onde podemos curtir um sol e nos refrescar na água sem ter que pagar nada por isso. Então por que alguém vai se enfurnar em um parque aquático tendo que gastar um dinheirão de entrada? Ora, porque é divertido…

A ideia (sem acento por causa do acordo ortográfico. O word fica querendo me corrigir… idiota) não pegou no Rio de Janeiro, onde o Wet ´n´ Wild e um outro, que eu já até esqueci o nome, fecharam as portas. Realmente, por mais divertido que seja, carioca gosta mesmo é de praia.

Pensando aqui, lembrei que em São Paulo tinha o ‘Waves’, que eu fui e era bem fraquinho, que também encerrou suas atividades.

Selecionei aqui alguns dos melhores do Brasil para vocês. Para saber sobre os parques aquáticos da Disney, visite o meu post ‘O mundo encantado de Walt Disney’.

Hot Park - GO

Hot Park - GO

Águas Quentes Hot Park – GO
Vou começar pelo que eu conheço, o Águas Quentes Hot Park, em Caldas Novas, Goiás. Estive lá há uns três anos para tocar no festival de verão deles. Acho que o pessoal de lá não curtiu muito escutar o meu house, mas eu adorei colocar um som à beira de uma piscina gigante debaixo do sol do cerrado.

O lugar é enorme, com seis hotéis e algumas pousadas em volta do parque. O legal é que você nem precisa sair do aconchego do lugar onde está hospedado para curtir as piscinas aquecidas naturalmente. Cada hotel da região conta com o seu próprio complexo aquático, com a água variando de temperatura conforme a piscina que você escolhe. Um detalhe aqui… se você gosta de banho frio, esqueça. Até a água da privada é aquecida.

DJ Pedro Serra @ Hot Park

DJ Pedro Serra @ Hot Park

No parque em si, rio artificial, piscina de ondas, área para crianças e diversos tobogãs e piscinas. Se você quiser tomar um choppinho ou comer alguma coisa, não precisa nem sair da água: os garçons levam tudo para você. Confesso que fiquei enrugado o fim de semana inteiro.

Infos –
Endereço
: Rio Quente Resorts, Fazenda Água Quente s/n, Rio Quente, GO
Preços: Adulto, R$52,90. Infantil (até 11 anos) R$36,90
Horário: das 9h30 às 17h
Site:www.rioquenteresorts.com.br

Águas Quentes - RJ

Águas Quentes - RJ

Águas Quentes Resort – RJ
No Rio há um resort homônimo ao de Goiás. O Águas Quentes daqui tem 160 mil m2 e pode receber até sete mil pessoas por dia (Deus me livre de pegar um dia com essa quantidade de gente). O parque fica em Dorândia (onde???), a umas duas horas da capital.

Tal qual o seu xará do Centro-Oeste, tem tobogãs, piscinas e afins, e você pode pedir seus petiscos sem sair da piscina.  A principal atração do local é o tal do Kilimanjaro, um toboágua de 50 metros de altura – mais ou menos um prédio de 13 andares. A descida (ou queda) dura apenas 5 segundos e, se você tiver ficado uma hora na fila, decepciona.

Infos –

Endereço: BR 393, KM 270, Dorândia, Barra do Piraí, RJ
Preços: Visitantes não-associados ao parque R$ 55,00
Horário: aberto de terça a domingo, das 9h às 18h
Site: www.aguasquentes.com.br

Wet ´n´Wild - SP

Wet ´n´Wild - SP

Wet ‘n’ Wild – SP
O Wet ´n´Wild pode não ter dado certo no Rio, mas em São Paulo ele vai bem, obrigado. Só em 2007 foram mais de 350 mil visitantes, o recorde dos seus dez anos de funcionamento. O parque fica a apenas 30 minutos de São Paulo e 15 de Campinas, e tem apenas 12 atrações, divididas pelo grau de emoção que você quer ter.

Endereço: Rodovia dos Bandeirantes, km 72, Itupeva, São Paulo.
Preços: de R$ R$ 36,50 a R$ 65 por pessoa. Além dos ingressos individuais, o parque também dispõe de um passe que garante ao seu portador a entrada quantas vezes quiser durante a temporada, exceto em shows e nos 4 dias de carnaval. Estacionamento: R$ 5 (motos) e R$ 12 (carros).
Horário: em dezembro o parque funciona de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 10h às 18h. No mês de janeiro: aberto todos os dias das 10 às 18h
Site: www.wetnwild.com.br

Rainbow Falls - SP

Rainbow Falls - SP

Rainbow Falls – SP
Também em São Paulo, a 45 km da capital, em Ribeirão Pires, fica o Rainbow Falls. Além das atrações deste tipo de parque, há um campo de futebol, quadra poliesportiva, local para churrasco e trilhas ecológicas.

O parque não conta com local de hospedagem próximo e eles às vezes alugam o parque inteiro para festas e eventos, então é bom dar uma ligadinha para lá antes de ir para ver se eles estão abertos ao público.

Infos –

Endereço: Estrada da Varginha, 900 – Ouro Fino Paulista, Ribeirão Pires – São Paulo.
Preços: O ingresso custa R$ 18 (crianças até 4 anos não pagam quando acompanhadas de um adulto pagante). O restaurante serve comida por quilo (R$ 16 o kg). O estacionamento é gratuito.
Horário: sábados, domingos e feriados das 9h30 às 17h
Site: http://www.rainbowfalls.com.br

Agora vamos a alguns parques aquáticos que ficam próximos a praias, para mostrar que isso realmente pode dar certo e que no caso do Rio foi por causa da cultura carioca.

Beach Park - CE

Beach Park - CE

Beach Park – CE
A 15 km de Fortaleza, em Porto de Dunas, fica o Beach Park. São 35 mil m2, oito áreas temáticas e 78 brinquedos, entre tobogãs, piscinas, chafarizes e um ‘balde’ que a cada hora provoca uma enxurrada de 1,8 mil litros de água. A principal atração de lá é o Insano, um toboágua onde você chega a velocidades de até 104km/h (mais um daqueles brinquedos onde você fica horas na fila e desce em 5 segundos).

Como fazem os parques americanos, o pessoal do Beach Park criou personagens, como o Zé Patola, um  caranguejo descolado; Lola, uma lagosta paquerada por todos; e o trio de pinguins (word idiota… tenho que brigar com ele para escrever sem o trema) – Hugo, Beto e Raul (qualquer semelhança com a Disney não deve ser mera coincidência).

Infos:
Endereço
: Rua Porto das Dunas, 2734, Aquiraz, CE
Preços: Adulto- R$ 80. Infantil: R$ 70
Horário: Alta estação: aberto todos os dias, das 9h30 às 17h30. Baixa Estação: usualmente aberto de sexta à terça, 9h30 às 17h30
Site:www.beachpark.com.br

Aquamania - ES

Aquamania - ES

Aquamania – ES
Se você está curtindo o verão na bela praia de Guarapari, com toda a agitação da cidade e tal, dificilmente vai pensar em visitar um parque aquático. Mesmo assim, aí vão as informações. O Aquamania tem tudo aquilo que os outros parques tem e oferece programas de ecoturismo e esportes de aventura. Como os outros, há uma atração de nome ameaçador, onde você enfrenta a fila e desce em cinco segundos. Lá o nome do troço é Kamikase. Há também um hotel dentro do parque.

Infos:
Endereço
: Rodovia do Sol – km 32 / BR 101 – km 319, no distrito de Amarelos, município de Guarapari, Espírito Santo. Rua Cabo Aylson Simões, 490, Centro, Vila Velha.
Preços: ingressos individuais de R$ 19 a R$ 25 (grupos acima de 20 pessoas podem fazer reserva antecipada e ganhar desconto no valor). O pagamento só pode ser feito em dinheiro ou cheque.
Horário: sábados, domingos e feriados das 9h30 às 16h (o parque fica fechado no mês de junho).
Site: http://www.acquamania.com.br

Veneza - PE

Veneza - PE

Veneza Water Park – PE
Na praia de Maria Farinha, em Pernambuco, a 20km de Recife, fica o Veneza Water Park. Confesso que nesse eu fui, mas aí é diferente. Eu tenho família na cidade e ia para lá todo ano. Em uma dessas vezes, resolvi visitar o parque porque já conhecia todas as praias da região e tal. Devo dizer que me diverti muito e que valeu a pena.

O parque tem 90 mil metros quadrados e 10 milhões de litros d´água espalhados por piscinas de todos os tipos. Aqui também há um Kamikase, com 25 metros de altura e velocidades de até 80 km2. De resto, tudo que um bom parque aquático tem a oferecer.

Infos –
Endereço: Av. Cláudio Gueiros Leite nº 10.050 – Praia de Maria Farinha,  Paulista – Pernambuco
Tel/Fax : (81) 3436-6363
Horário de Funcionamento : 09:00 às 17:00 horas.
Site:   www.venezawaterpark.com.br

Eco Park - BA

Eco Park - BA

Eco Park – BA
Em frente à praia do Mucugê, em Arraial d´Ajuda, fica o Eco Park. Piscinas, brinquedos, arvorismo, escalada e etc. fazem parte das atrações. Os equipamentos aqui são da mesma empresa que fornece para a Disney, o que garante uma certa qualidade.

Infos
Endereço
: Estrada da Balsa, Km 4,5 – Arraial D’Ajuda, Porto Seguro – BA
Preços: de R$ 25 a R$ 49. Deficientes físicos não pagam entrada. O pagamento pode ser feito em real (R$), dólar (U$) e euro (E$). O parque aceita os seguintes cartões de credito: Visa, Mastercard, Diners e Rede Shop. Estacionamento gratuito com capacidade para 200 veículos.
Horário: das 10h às 17h, de acordo com o calendário de funcionamento, sujeito a alterações.
Telefone: (73) 3575-8600
Site: http://www.arraialecoparque.com.br

Cascanéia -SC

Cascanéia -SC

Cascanéia – SC
Santa Catarina também tem os seus parques. Um deles é o Cascanéia, localizado em Gaspar, a 116kms de Florianópolis. A infra-estrutura lá parece ser menor, mas eles estão fazendo obras e aumentando o parque.

Infos:
Endereço: José Patrocínio dos Santos, 2355, Bairro Belchior, Gaspar, SC
Preços: Diária do hotel a partir de R$ 200,00 o casal com café e jantar. Ingresso ao parque a partir de R$ 16,00 por pessoa
Horário: Do dia 27/10/07 a março de 2008 aberto todos os dias das 9h às 19h. Nos meses de abril e maio de 2008, apenas em feriados e finais de semana. De junho a setembro, consultar
Site:http://www.cascaneia.com.br

Cascata Carolina - SC

Cascata Carolina - SC

Cascata Carolina – SC
O outro da região é o Cascata Carolina, que também fica em Gaspar. O parque é uma estância hidromineral com 40 mil m2, toboáguas, piscinas e todas essas coisas, além de uma trilha ecológica que você pode fazer acompanhado por um biólogo.

Infos:
Endereço: Estrada Carolina, 600 – Gaspar
Funcionamento:
Diariamente das 9:00 às 19:00 horas (Horário de Verão)
Diariamente das 9:00 às 18:00 horas (Horário Normal)

Aguamania – Foz do Iguaçu – PR
Pois é… após todos os parques ao lado de praias, vamos a um que fica ao lado de uma cachoeira. E não é qualquer cachoeira, são as cataradas do Iguaçu. O parque tem apenas 20 mil m2, mas conta com toboáguas, piscinas e afins. O local só abre entre outubro e março (também, no resto do ano deve estar um frio de dar dó).

Infos:
Endereço: Av.das Cataratas, km 6.5
Telefone: (45)3529-8272
Funcionamento: Outubro a Março de Quarta a Domingo. De Quarta a Sexta feira das 10:00 as 17:30 Horas Sábados, Domingos e Feriados das 10:00 as 19:30 Horas

Se você veio parar nesse post direro de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

cruise_ill.jpgConforme falei no post anterior, comecei a escrever para um site chamado O Pensador Selvagem, onde possuo uma coluna de viagens e turismo chamada Por Aí. No meu primeiro artigo por lá, escrevi sobre os cruzeiros marítimos temáticos que estão fazendo com que um público cada vez mais diversificado opte por este tipo de viagem.

A imagem que me vinha a cabeça sempre que eu pensava em um cruzeiro marítimo era a de velhinhos dançando ao som de “New York, New York” em um salão luxuoso, com smoking e vestidos de baile, bebendo drinks exóticos enquanto o navio singrava os mares a caminho de algum paraíso tropical.

Isso mudou… se entre os anos 60 e 80 a idade média dos passageiros era de 60 anos, com o crescimento do setor este número baixou para 40 e deixou de ser importante, pois as empresas passaram a oferecer produtos específicos para cada segmento. Ok, se você embarcar em um cruzeiro comum pelo caribe, a faixa etária estará em algo entre os 35 e 55 anos, mas o que estamos falando aqui é de cruzeiros temáticos, para jovens, casais em lua de mel, solteiros, gays, swingers, nudistas e sei lá mais o que.

island-escape-rio-02.jpgNo meu artigo n´O Pensador Selvagem, listei diversas dicas de viagens assim – com o navio Island Escape fazendo roteiros com música eletrônica, festas de solteiro, anos 80 e 90, o MSC Opera com a sua dança de salão, o Costa Mágica com a malhação a bordo, O Island Star com os cuidados para o corpo, o Costa Clássica com a degustação de pratos preparados por grandes chefs e um cruzeiro dedicado à arte no Costa Victória. Então, para escolher a sua viagem, dê uma passadinha lá.

O que vamos falar aqui é para os “marinheiros de primeira viagem”, aqueles que querem saber o que levar para um navio, o que fazer se passar mal, quais os documentos necessários e etc…

No meu artigo para o site, foquei nos cruzeiros nacionais. Mas vou tentar aqui nas dicas me internacionalizar um pouco, falando sobre como proceder também em cruzeiros maiores, para, digamos, a Antártica. E como brinde, no final, selecionei mais alguns roteiros interessantes.

island-escape-suite-com-varanda-01.jpgSua Mala – Não quero parecer óbvio, mas tenha em mente o cruzeiro que você escolheu, por onde ele passará e quais os tipos de festa que terá a bordo. Lembre-se que a noite, no mar, venta e pode fazer frio e que, dentro do navio, o ar condicionado deve estar ligado no máximo. Leve também uma mala de mão, com nécessaire, uma muda de roupa e artigos básicos, pois geralmente as malas demoram um pouco para chegar no quarto após o check-in. O limite de peso da mala é de 90 Kg.

Alguns cruzeiros oferecem um jantar formal conhecido como “Noite do Comandante”, que requer roupa de gala, ou seja, terno e gravata para os homens e vestido longo para as mulheres. Mas não é obrigatório, e se você não quiser entrar na festa, é só seguir para algum dos outros restaurantes do navio ou pedir comida na sua cabine.

island-escape.jpgCheck-in – Não deixe para fazer o check-in em cima da hora. Lembre-se que os navios acomodam milhares de pessoas e as filas podem ser gigantes, principalmente nos portos mal preparados do Brasil. Se você vai pegar um navio em algum outro país, programe-se para chegar lá com pelo menos um dia de antecedência.

Taxas – além do valor da passagem, incluam no orçamento as taxas portuárias e de serviço e o seguro. Só para dar um exemplo, em uma viagem cara como a do Splendour of the Seas para a Europa, você terá que desembolsar US$137 de taxa de serviços, US$284 de taxa portuária e US$90,00 de seguro para 22 dias. Para um mini cruzeiro de três dias, porém, este valor cai para US$25 de serviço, US$76 de taxa portuária e US$14 de seguro.

Informe-se – Os jornais informativos ou folhetos de atividades do dia, com horários de navegação, desembarque, previsão do tempo, excursões, refeições, são deixados diariamente em sua cabine. Se ainda assim você tiver dúvidas, a recepção do navio é o lugar para tirá-las.

Excursões – muitos cruzeiros oferecem passeios programados em suas paradas. Aí é com você. A minha idéia é a seguinte: compre um guia Lonely Planet dos lugares onde você vai passar e também faça uma pesquisa antes da viagem. Se a excursão for passar pelos lugares que te interessam, pode ser uma boa. Se você resolver sair por conta própria, tenha sempre em mente o horário de retorno e planeje muito bem o meio de transporte. Verifique se há táxis ou se os ônibus funcionam até o horário que você planeja voltar. Você não quer ficar, literalmente, a ver navios (horrível essa… promento não fazer de novo).

ship-on-port.jpgEnjôos – Por mais que os navios modernos de hoje em dia possuam estabilizadores, é possível que você fique enjoado. Aliás, é muito provável que você fique enjoado. Se você é daquelas pessoas que enjoa em carro, ônibus ou avião, aí é mais do que certo que isso vai acontecer. O amigo blogueiro Arnaldo, do Fatos & Fotos de Viagens, um excelente blog com uma das matérias mais completas sobre cruzeiros que já li, nota que a nauseado vem do grego “naus” que significa navio, barco. Ele dá algumas dicas para vencer este problema.

1 – Preparação – se você tem propensão a ficar enjoado em viagens, prepare-se antes de embarcar em um cruzeiro freqüentando uma academia de ginástica e buscando orientação especializada, através de exercícios de isometria. Segundo ele, atividades aeróbicas, musculação, esportes e a tal da isometria podem curar este problema.

2 – Tente estabelecer uma referência visual – Não descer para cabinas, pois você não vai encontrar objetos fixos. Sente-se fixo no centro da popa do barco, (longe da fumaça e cheiro de diesel), onde o movimento é mínimo, tente se concentrar num objeto fixo na costa. Se for necessário ficar numa cabina, certifique-se que esta seja bem ventilada e se possível que tenha um ventilador.

ship-on-port-02.jpg2 -Não beba nada que contenha álcool – isso só vai piorar a situação.

3 – Hidrate-se – Beba água ou outra bebida que tenha um certa quantidade de açúcar (Gatorade etc…), mas que não contenha gás, principalmente depois de vomitar para evitar desidratação. Tente comer também um biscoito salgado.

4 – Algumas pessoas encontram conforto indo para a água.

Para evitar o enjôo, evite bebidas alcoólicas, comidas gordurosas e a falta de descanso. Procure também por medicamentos, que podem ser comprados sem prescrição médica. Para isso, de preferência consulte um médico e veja como você reage ao medicamento antes de viajar, já que muitos provocam reações adversas. Eu costumo tomar Dramim quando estou mareado, mas sei que logo depois irei dormir por algumas horas. Existem também adesivos que você pode colocar… mas repito minha recomendação: procure um médico e veja o que é melhor para você. E se você enjoar no navio, procure a enfermaria, que segundo nosso amigo Arnaldo, possui remédios “milagrosos”.

Room Service – Para o café da manhã, o serviço é gratuito. Basta preencher o menu e colocar do lado de fora. Nos demais horários, é cobrada uma taxa. O serviço funciona 24 hs.

splendour-suite.jpgCabine – Não é permitido o uso de eletrodomésticos na cabine, especialmente ferro de passar roupa. As cabines têm secadores de cabelos. É proibido o embarque com equipamento de som com qualquer tipo de amplificação.

Pagamento das despesas – a maioria dos cruzeiros hoje em dia funciona no sistema all inclusive, ou seja, tudo incluído no valor da passagem, você come e bebe sem se preocupar com as conseqüências financeiras dos seus atos no final da viagem. Para os roteiros que não funcionam neste sistema, é necessário informar a forma de pagamento no início da viagem, cadastrando o seu cartão de crédito ou, em caso de pagamento em dinheiro, fazer depósitos regulares conforme você for gastando. Com isso, você recebe o cartão magnético da empresa, com o qual faz os pagamentos dentro do navio.

Alimentos e bebidas – nem pense em levar aquela garrafa de uísque doze anos que você ganhou de natal. É proibido levar qualquer tipo de alimento ou bebida adquiridos fora do navio.

Documentação – se você vai fazer um roteiro internacional, não esqueça de perguntar à companhia de cruzeiros quais são os documentos necessários em cada um dos portos em que o navio fará parada. Em alguns, você poderá tirar um visto dentro do próprio navio, ou não precisará dele caso faça a excursão oferecida pelo cruzeiro. Informe-se bem antes de viajar, para não ter que ficar dentro do navio enquanto todos passeiam em terra firme.

msc_opera_big.jpgBom, acredito que eu tenha falado sobre os principais pontos, mas se vocês quiserem saber mais, visitem a página do Arnaldo. Lembrem-se também de, ao marcar um cruzeiro, fazer muitas perguntas ao seu agente de viagens. Quando se está em terra e há um problema, você muda de hotel, de cidade e até de país. Em um navio, não há como fugir.

Vamos então aos roteiros que separei, lembrando que há muitas outras opções no meu artigo no site O Pensador Selvagem, sendo que ali separei os roteiros temáticos e de curta duração (geralmente mais baratos, festeiros e com mais jovens). Aqui, vou dar mais atenção aos roteiros mais longos, conseqüentemente mais caros e com uma média de idade mais elevada.

antartica.jpgUma das opções que mais me chamou a atenção foi o Rumo à Antártica. São 18 noites a bordo do Azamara Journey, um navio médio, com 181 metros e 358 cabines para 694 passageiros. O Roteiro tem início em Buenos Aires no dia 9 de fevereiro com parada nas Ilhas Malvinas (ou Falkland, se você preferir), seguindo para Coronation Island, Elephant Island e Deception Island, já na antártica e retornando pelo Cape Horn (Chile), Ushuaia (Argentina), Punta del Este e Montevidéu (Uruguai) até chegar novamente em Buenos Aires. Um roteiro para ninguém colocar defeito.

 

azamara-antartica.jpg

Para quem gostou do roteiro acima mas achou a ida à Antártica uma fria (eu prometi que ia para com os trocadilhos infames, mas não resisti) os cruzeiros para a Terra do Fogo são uma opção. O gigante Costa Victoria, com suas 964 cabines para 2.394 passageiros espalhadas por 253 metros, faz um roteiro de 22 noites saindo do porto de Santos no dia 18 de fevereiro. As paradas acontecem no Rio de Janeiro, Buenos Aires, Montevidéu, Puerto Madryn (AR), Punta Arenas (CH), Baia Garibaldi, Ushuaia (AR), Ilhas Malvinas, Buenos Aires de novo, Punta del Este, Porto Belo e Santos. Se você preferir, pode começar o roteiro pelo Rio de Janeiro no dia 19, mas vai ter que voltar por Santos. O preço por pessoa em cabine dupla varia de US$2.649 (cabine interna) a US$6.359 (mega suite com vista para o mar).

splendour-pool.jpgUm parêntese aqui… quando eu penso nos preços dos cruzeiros, eu cada vez mais me convenço que realmente esta é uma boa opção de viagem. Se você colocar na ponta do lápis os gastos com passagens, hotéis, aluguel de carro, alimentação e entretenimento que teria em uma viagem em que se dispusesse a conhecer tantos lugares em um curto espaço de tempo, com certeza o valor estaria próximo a este. A questão aí é que realmente são viagens diferentes. Em uma, você vai fazer as refeições e se divertir dentro do navio, na outra, você vai conhecer a cultura, a comida e as pessoas do local. Estou falando também de pessoas que viajam no esquema avião, hotel, restaurante, carro alugado… porque realmente não dá para comparar com as minhas viagens low budget, no esquema albergue, casa de amigos, trem, ônibus, passagens em promoção, museus grátis aos domingos, etc.

splendour-flyer-01.jpgOk… mas voltando à Terra do Fogo. Outro navio a fazer o roteiro é o famoso Splendour of the Seas, da Royal Caribbean. São 902 cabines para 2.076 passageiros confortavelmente alojadas em 279 metros. O Splendour fará duas saídas para a Terra do Fogo em março, uma no dia 09 e outra no dia 22. Na primeira viagem, saindo de Buenos Aires, ele vai passar por Punta del Este, Porto Madryn (Argentina), Cabo Horn (Chile), Ushuaia (Argentina), Punta Arenas (Chile), Estreito de Magalhães, Fiorde Chileno, Porto Montt (Chile), La Serena Coquimbo (Chile) e Valparaíso (Chile). Na Segunda, saindo de Valparaíso (Chile) as paradas serão em Porto Montt (Chile), Fiorde Chileno, Estreito de Magalhães, Punta Arenas (Chile), Ushuaia (Argentina), Cabo Horn (Chile), Porto Madryn (Argentina), Buenos Aires, Rio de Janeiro e Santos.

O navio se despede do Brasil no dia 06 de abril, em um cruzeiro de 14 noites que sai de Santos, dá uma passada nos portos brasileiros do Rio de Janeiro, de Santos e do Recife e segue para Agadir e Casablanca no Marrocos, fazendo sua parada final em Lisboa.

splendour.jpgOutros navios aproveitam o fim da temporada no Brasil para organizar roteiros para a Europa. O Azamara Journey parte no dia 24 de fevereiro de Santos, para 19 noites de viagem passando por Salvador, Maceió, Recife, Mindelo (Cabo Verde), Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias), Funchal (Ilha da Madeira), Casablanca (Marrocos), Gibraltar (Reino Unido), Barcelona (Espanha) e Savona (Itália). O pequeno Grand Voyager, de 180 metros, com 418 cabines para 836 passageiros, se despede no dia 23 de fevereiro, em uma viagem de 11 noites até Valência, na Espanha, saindo de Santos e passando por Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Fernando de Noronha.

cruise-pool.jpgO MSC Sinfonia parte do Rio de Janeiro no dia 01 de março com destino à Itália. Com 777 cabines para 2.087 passageiros, o navio vai passar por Búzios, Salvador, Mindelo (Cabo Verde), Santa Cruz do Tenerife (Ilhas Canárias), Funchal (Ilha da Madeira), Tangier (Marrocos), Túnis (Tunísia), Dubrovnik (Croácia) e Veneza (Itália). Já seu irmão maior, o MSC Opera, com 856 cabines para 2.055 passageiros, vai para a Alemanha, saindo de Santos no dia 31. O Roteiro passa por Rio de Janeiro, Maceió, Fortaleza, Mindelo (Cabo Verde), Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias), Lisboa (Portugal), La Coruña (Espanha), Dover (Inglaterra) e chega em Kiel (Alemanha) no dia 20 de abril.

Bom, se você é um marinheiro de primeira viagem e acredita que esses roteiros longos assim seriam muita emoção (ou muito caros), há também a opção dos mini-cruzeiros. São três ou quatro noites passando por lugares como Búzios, Angra dos Reis, Florianópolis, Ilha do Mel. O navio Island Escape é especialista neste tipo de viagem, siga o link e dê uma olhada no que ele tem a oferecer. Outra opção são os roteiros de seis noites para Fernando de Noronha oferecidos pelo diminuto Pacific, com apenas 328 cabines para 658 passageiros. O navio funciona mais ou menos como um ônibus circular, passando por Recife, Natal, Fortaleza e Fernando de Noronha continuamente do dia 09 de fevereiro até o dia 06 de março. Você pode começar o cruzeiro em qualquer um dos portos, em diversas datas diferentes.

 

pacific-02.jpg

 

grand-amazon-01.jpgPara terminar este meu loooongo post, vamos falar dos cruzeiros pluviais. Isso mesmo, pelos rios da Floresta Amazônica. O navio que faz este roteiro é o Ibero Star Grand Amazon. Apesar do nome imponente, ele possui apenas 74 cabines para 150 passageiros, espalhadas por 90 metros, o que não quer dizer que ele não possua piscinas, jacuzzis, restaurantes e bares. De 3 a 27 de abril, o Grand Amazon vai alternar dois roteiros pela região. O primeiro, de três noites, sai de Manaus, sobe o Rio Manacaparú até o Lago Janauacá e retorna para a capital. O segundo, de quatro noites, sai também de Manaus, segue até o Lago Jacaré e passa pelos rios Puduari e Cuieiras antes de retornar.

E chega, quem quiser saber mais, aí vão os links para as diversas empresas que fazem roteiros por aí…

Azamara Cruises

Costa Cruzeiros

Iberostar

Island Cruises

MSC Cruises

Pullmantur

Royal Caribbean

Confesso que conheço mais museus fora do que dentro do Brasil… não, não é nada do que me orgulhar. Afinal sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor. Mas acredito que isso tem dois motivos. O primeiro é que, quando viajamos, queremos conhecer mais esse tipo de lugar. E tendo morado nos Estados Unidos e feito um tour pela Europa, museus é que não faltaram para mim lá fora. O segundo é que os museus brasileiros, muitas vezes, não empolgam muito.

Recentemente estive em Tiradentes e fiquei decepcionado ao visitar o Museu Padre Toledo. O Padre foi um dos Inconfidentes e a casa era uma das mais ricas da então Vila de São José Del Rei. Mas o museu conta com uma meia dúzia de peças envelhecidas e não conta muito a história do que aconteceu ali. Eu logo fiz uma comparação com o museu da Batalha de Gettysburg, na Pennsylvania, EUA, onde o museu, na verdade, é a cidade inteira. No que foi o campo de batalha, há pessoas vestidas como na guerra. Na casa do museu propriamente dito, há mapas explicativos, objetos, roupas da época, gravuras, etc, etc, etc, contando tudo o que aconteceu, como aconteceu, porque aconteceu e quando aconteceu. Ok, o investimento lá é muito maior. Mas nós temos criatividade… Tiradentes recebe milhares de visitantes por ano, não deveria se basear apenas na arquitetura e na Maria Fumaça para entreter seus visitantes, deveria contar um pouco melhor sua história.

Menino com Peão - Reynaldo FonsecaQuanto à arte, temos excelentes artistas nacionais… Candido Portinari, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral e muitos, muitos outros. Eu sou primo (de segundo grau) de dois grandes pintores pernambucanos de projeção internacional. Qualquer apartamento dos membros da minha família é uma verdadeira exposição de obras de Reynaldo Fonseca e Lucia Helena. Cresci vendo seus quadros. Reynaldo foi aluno de Candido Portinari e me lembro de, durante minha infância, ter medo de andar pela sala à noite por causa dos olhos nos quadros, que seguiam meus passos.

Leque - Reynaldo Fonseca

Quadros de Reynaldo Fonseca. À direita, Menino com Peão, à esquerda, Leque.

 

 

Mas vamos aos museus então…

A página Guia dos Museus tem links para os principais museus do Brasil, dividido por estados. Infelizmente o cara que fez a página quis ganhar uns trocados e colocou alguns pop-ups… mas se você usa um bloqueador, não deve ter problemas. Tentei localizar outras páginas, mas nenhuma era tão completa ou estava tão atualizada com os links… mesmo nesta página, muitos dos links estão quebrados, então você tem que se virar para achar… eu tentei aqui dar uma ajudinha, colocando sempre os links para páginas mais completas quando o Guia dos Museus falhava.

Aqui vão algumas dicas de museus que visitei ou que acho interessante:

Rio de Janeiro:

Urutu - Tarsila do AmaralMAM – Museu de Arte Moderna – Um incêndio em 1978 destruiu boa parte de um acervo que contava com peças de Picasso, Salvador Dali, Miró, Max Ernst, entre outros. A solidariedade de artistas, governos e colecionadores ajudou o museu a voltar a funcionar, mas foi a doação de Gilberto Chateaubriand, em 1993, que realmente colocou o museu de volta à cena. Hoje o MAM conta com em seu acervo com obras de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral (o Urutu, imagem à direita), Lasar Segall, Di Cavalcanti, Ismael Nery, Vicente do Rego Monteiro, Cândido Portinari, Pancetti, Goeldi e Djanira, além de uma grande exposição de mais de quatro mil obras de fotógrafos brasileiros e exposições temporárias.

MAC NiteróiNiterói:

MAC – Museu de Arte Contemporânea – O prédio do museu já é uma obra de arte. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, parece um disco voador, emoldurado pela Bahia de Guanabara, com uma belíssima vista para o Rio de Janeiro. O acervo do MAC conta com 369 obras próprias e 1.217 obras da coleção de João Sattamini, que incluem artistas como Hélio Oiticica, Amílcar de Castro, Carlos Vergara, entre outros.

Petrópolis:

Museu Imperial – O museu é a antiga casa de verão de Dom Pedro II, na cidade por ele criada com um nome que o homenageia. Petrópolis, a cidade de Pedro. Documentos, móveis e objetos fazem parte do acervo, além do próprio palácio e seus muitos quartos. Uma das curiosidades é que o visitante tem que calçar pantufas para andar pelo museu, para não estragar o chão de madeira. É comum vê-los deslizando pelos cômodos. O museu também oferece um show, que ilumina o palácio de diferentes formas ao som de música.

São Paulo:

A Estudante - Anita Malfati (MASP)MASP – Museu de Arte de São Paulo – Outro que tem o prédio como uma obra de arte. O forte de seu acervo está nas obras francesas e italianas. O museu possui a maior e mais completa coleção de obras de arte ocidental da América Latina. No lado dos Italianos, podemos citar obras de Sandro Botticelli, Paolo Veronese, Alessandro Magnasco, Giovanni Boldini, entre muitos outros. Entre os franceses, nomes como Nicolas Poussin, os impressionistas Manet, Degas, Cézanne, Monet e Renoir, o fauvista Matisse e o cubista Picasso. Também estão lá obras de Max Ernst, Goya e meus favoritos Miro e Van Gogh. Ahhh… tem brasileiros também. Esculturas de aleijadinho, pinturas de Portinari, Lasar Segal, Anita Malfatti(A Estudante, imagem à direita), Di Cavalcanti. Tem ainda arte asiática, africana, inglesa, americana… fotografia, arqueologia, moda e vestuário, biblioteca… uff uff uff.

Paisagem - Tarsila do Amaral (MAM-SP)MAM – Museu de Arte Moderna – Apesar de se autodenominar de arte moderna, o museu reúne um acervo de quatro mil obras de arte contemporânea brasileira, entre elas, pinturas de Candido Portinari, Emiliano Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral (Paisagem, imagem à esquerda) e Victor Brecheret.

Belo Horizonte:

MAP – Museu de Arte da Pampulha – Mais um prédio projetado por Oscar Niemeyer, centro do denominado “conjunto arquitetônico da Pampulha”, proposto por Juscelino Kubitscheck. Seus jardins foram projetados por Burle Marx e conta com esculturas de August Zamoyski, José Pedrosa e Alfredo Ceschiatti. O museu se destaca mais por organizar exposições de arte contemporânea do que por seu acervo, mas conta com obras de Portinari, Di Cavalcanti e Alfredo Volpi.

Recife:

Instituto Ricardo Brennand – Um castelo Medieval no meio de Recife já é o suficiente para instigar uma visita a este museu. Mas a visão de Ricardo Brennand era maior do que apenas uma construção megalomaníaca e lá se encontram uma exposição de armas brancas e armaduras medievais, uma pinacoteca com obras do pintor holandês Albert Eckhout, que veio ao Brasil durante o século 17 retratar paisagens e cotidiano, e uma biblioteca composta por obras raras que pertenceram ao historiador José Antônio Gonçalves de Mello e ao escritor Édson Nery da Fonseca

Instituto Ricardo Brennand - Recife

Manaus:

Teatro AmazonasMuseu do Teatro Amazonas – Construído nos estilos neo-clássico e art-noveau durante o ciclo da borracha, no final do século 19, o prédio possui em sua arquitetura ornamentos que fazem referências a compositores e dramaturgos clássicos como Mozart, Chopin, Rossini e Moliére.

Ok… vou parar por aqui… o resto é com vocês. Se alguém tiver alguma dica para dar, sinta-se a vontade para usar os comentários… afinal eles estão ai para isso mesmo