Europa


Pois é… chegou a hora de dizer adeus a este blog aqui. Ele ficou pequeno para as minhas ideias mirabolantes. A vontade de ter uma área de vídeos, anúncios, incorporar isso, aquilo e organizar tudo de uma forma completamente diferente acabou me levando a sair do wordpress.com… e ir para o wordpress.org. Foram noites em claro quebrando a cabeça tentando desvendar aqueles códigos em html, php, css e sei lá o quê só para trocar a cor de uma simple fonte. Agora está tudo lá, e vocês podem conferir no meu novo domínio blogsemdestino.com. Alguns links ainda estão quebrados, algumas coisas ainda insistem em sair do lugar, mas isso é algo que ainda vai me levar um tempo até deixar 100%, e uma coisa que eu aprendi nesses meus anos de jornalismo é a “trocar o pneu com o carro andando”. Se ficarmos pensando muito, a ideia não sai do papel. Se tem algum post que voce gosta aqui, não se preocupe, ele já está lá… então, without further ado, visitem, aproveitem, leiam, comentem, critiquem (pero no mucho) e, principalmente, divirtam-se com o novo Sem Destino.

Se você assina o RSS feed do semdestino.wordpress, mude sua assinatura para o blogsemdestino.com. Se ainda não assina, está esperando o quê??? É só clicar no link na página principal do novo blog.

ESTE BLOG MUDOU-SE PARA BLOGSEMDESTINO.COM

Put your hands down

Put your hands down

Parece que os ingleses não vem usando Rexona… ou talvez tenham importado os maus hábitos dos vizinhos franceses. O odor nas axilas (A.K.A cê-cê) vem incomodando nos parques de diversões, a ponto de o Thorpe Park, no condado de Surrey, tomar uma medida drástica. Após várias queixas de clientes, agora é proibido levantar os braços na montanha-russa. Além disso, a administração do parque distribuiu desodorantes para os funcionários aplicarem nos clientes.

Segundo o diretor do parque, Mike Vallis, a onda de calor no mês passado desencadeou uma avalanche de reclamações.

Monks too

Monks too

O corpo humano reage ao medo e aos sustos produzindo mais suor – explicou.

A administração não pretende barrar os ‘sujinhos’, mas serão abordadas, discretamente e com carinho, com um pedido para aplicar o desodorante.

O assessor de imprensa negou que tudo não passe de uma jogada de marketing.

– Podem dizer que é apenas para fazer propaganda, mas a verdade é que levamos a sério os comentários dos nossos clientes – afirmou.

Se o parque aparecer patrocinado pelo desodorante Avanço, como o time do Corinthians, não estranhem.

———————————————————————————

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

Que tal passar a noite deitado sobre uma cama de gelo instalada em um quarto onde as temperaturas podem chegar a –5 graus? Se interessou? Pois é, tem maluco para tudo…

 

Hotéis de Gelo

Hotéis de Gelo

Separei aqui alguns dos mais famosos hotéis de gelo e neve. Nos primeiros, fiz questão de falar mais sobre a infra-estrutura e os serviços oferecidos para vocês terem uma ideia melhor do que é se hospedar em um hotel de gelo. Mais para o final, coloquei apenas uma pequena descrição, pois todos oferecem mais ou menos a mesma coisa: hospedagem, bar, restaurante, sauna, capela, galeria de arte e instalações aquecidas. Para visitar as páginas dos hotéis, basta clicar no nome deles.

Ante de vermos os hotéis, um quadrinho com dicas de como se vestir para aguentar temperaturas de até -6 graus:

Como se vestir em um hotel de gelo

Como se vestir em um hotel de gelo

 

Ice Hotel – Jukkasjärvi, Suécia

 

Começamos com o pioneiro Icehotel, que inspirou todos os outros. Localizado no Rio Torne, em Jukkasjärvi, Suécia, o hotel teve o seu começo em 1990 como um grande salão de exposição de arte em forma de iglu. Os visitantes, porém, começaram a passar a noite dentro do salão protegidos por casacos de pele e sacos-de-dormir. A moda pegou e, para a temporada seguinte, os organizadores resolveram criar um lodge para hospedar os visitantes. A cada ano, 5 mil toneladas de gelo são retiradas do rio Torne para dar vida a este monumento à água em estado sólido, que mereceu o título de uma das sete maravilhas da Suécia.

 

Ice Hotel

Ice Hotel

Com quase 20 anos de existência, o Icehotel cresceu e apresenta quartos luxuosos, um bar onde até os copos são de gelo e até uma igreja, onde são celebrados casamentos e missas. O hotel fica aberto à visitação do público durante o dia e fecha às 18h para a entrada dos hóspedes que vão passar a noite. As malas são deixadas na portaria e guardadas em uma área aquecida. Banheiros e quartos para trocar de roupa também são aquecidos. Os hóspedes dormem em sacos de dormir cobertos com um colchão e pele de rena.

 

Para os que não conseguem agüentar o frio da noite, o Icehostel oferece chalés e lodges aquecidos. Eles inclusive recomendam que você intercale acomodações frias e quentes, ficando o primeiro dia no hotel de gelo e desfrutando o resto da estadia relaxando em um quarto mais quentinho.

 

Ice sculpture

Ice sculpture

Um pacote de três dias saindo de Londres sai por 970 Libras, ou uns R$ 3 mil, incluindo parte aérea, traslados, uma noite no hotel de gelo e duas em quarto aquecido. Clique aqui para conferir os preços.

 

 

 

 

Lapônia, na Finlândia, além de ser a casa de Papai Noel, parece ser também a terra das construções de neve. Nada menos do que três complexos turísticos feitos de nada mais do que água congelada povoam a paisagem desta fria região do norte.

 

 

Lumi Linna - SnowCastle of Kemi

Lumi Linna - SnowCastle of Kemi

LummiLinna – Lapônia, Finlândia

 

LummiLinna, o castelo de gelo da cidade de Kemi, localizado no Golfo de Bothnia, é um complexo turístico com um hotel de 18 quartos, lounge aquecido, capela, restaurante e galeria de arte com esculturas de gelo. Contruido pela primeira vez em 1996, a área coberta pelo castelo tem variado de 13 mil a 20 mil metros quadrados, com uma construção de três andares. A torre mais alta construída tinha 20 metros de altura e a muralha mais longa, 1.000 metros.

 

Kemi restaurant

Kemi restaurant

A entrada para conhecer as instalações fica em 7 Euros. Para se hospedar no hotel, um quarto doublé sai por 130 Euros por pessoa. No restaurante, um ‘banquete real’, com uma sopa de entrada, um rosbife com batatas de prato principal e um chocolate quente de sobremesa, sai por 43 Euros. O hotel fecha em 12 de abril.

 

Clique aqui para fazer um tour virtual

 

 

 

 

 

Lainio SnowVillage – Lapônia, Finlândia

 

Todo ano, cerca de mil caminhões cheios de neve são usados para criar esse complexo de 7.500 metros quadrados. No hotel da SnowVillage, as temperaturas ficam entre 0 e –5 graus, mas os hóspedes podem desfrutar de um porão aquecido, com sauna , banheiros, lareira e alguns quartos. Enquanto no IceBar você desfruta de um drink quente em copo de gelo, no restaurante Lainio Krouvi você conhece a culinária local em um ambiente aquecido.

 Os preços ficam em 180 Euros por pessoa em quarto single.

 

 

Igloo Village Kakslautanen – Lapônia, Finlândia

 

O hotel Kakslautanen é um pouco diferente dos outros, além de funcionar durante todo o ano, com chalés e restaurantes em estruturas fixas, a estrutura montadas para o inverno são individuais… pequenos iglus feitos de gelo ou vidro.

 

Igloo Village

Igloo Village

Enquanto do lado de fora as temperaturas podem chegar a –32 graus, dentro do iglu o hóspede fica ‘quentinho’ a, no máximo, -6 graus. As pequenas construções podem abrigar de 1 a 5 pessoas (quanto mais gente, mais quente). Para começar a manhã, há uma sauna dentro da vila, de onde, por um buraco no chão, pode-se mergulhar no rio gelado.

 

Igloos de vidro

Igloos de vidro

Quem preferir se hospedar no iglu de vidro, poderá desfrutar da vista para as luzes do norte e uma noite estrelada. Aqui, a temperatura fica acima de zero, graças aos vidros térmicos que protegem o hóspede.  Quem está hospedado no gelo e quiser apreciar a vista sem sentir frio, há ainda uma pirâmide de vidro de oito metros de altura bem no meio da.

.


Hôtel de Glace – Quebec, Canadá

 

Há uns 10 quilômetros da cidade de Quebec fica o primeiro e único hotel de gelo das américas. Em sua primeira versão, em 2000, eram apenas 22 camas. Agora, já são 85, todas cobertas com pele de veado. Apenas os banheiros são aquecidos.

Hotel de Glace

Hotel de Glace

Para construir a estrutura, são usadas 5 mil toneladas de gelo e 15 mil de neve, formando arcos de até 6 metros sobre os quartos.

O hotel fica dentro do Duchesnay Winter Resort e, além da hospedagem, tem uma boate (N´Ice Club), um café, um escorrega de 15 metros e uma capela.

 

Faça um tour virtual pelo hotel

 

 

Bâlea Lake Ice Hotel – Transilvânia, Romênia

 

Em 2006 foi construído o primeiro hotel de gelo do leste europeu. Incrustado nas montanhas Făgăraş, na Transilvânia, terra do famoso conde Drácula, a uma altitude de 2.034 metros, o Bâlea Lake Ice Hotel só é acessível através de teleféricos. A construção não é tão vultosa quanto as anteriores, apenas 10 quartos e uma pequena capela.

Ice Hotel Balea

Ice Hotel Balea

 Noruega

Bjorli Ice Lodge – Bjorli, Noruega

Localizado em uma reserva natural no norte da Noruega, uma das principais atrações deste hotel de gelo é a natureza. Uma das recomendações feitas aos visitantes que têm sono leve é a de levar earplugs, para evitarem ser acordados pelo barulho do gelo estalando e dos lobos uivando à noite.

O preço para três dias, sendo um no hotel de gelo e dois em uma suite quentinha no Bjorligard Hotel fica em R$ 3,6 mil reais.

.

Kirkenes Snow Hotel – Kirkenes, Noruega

O Korkenes foi construido pelo mesmo arquiteto responsável pelo Lainio Snow Village e traz todas as atrações do seu irmão: capela, quartos, bar, neve e muito gelo.  As diárias começam em 150 Euros por pessoa.

.

Alta Igloo Hotel – Alta, Noruega

Com uma área de 2 mil metros quadrados, o hotel oferece aos visitantes 30 quartos (com temperaturas de até -6 graus), bar, restaurante, capela e sauna.

O preço de um pacote de pernoite fica em R$ 750, com jantar, hospedagem, sauna, café da manhã e traslado.

 

Alta Igloo

Alta Igloo

Leia os outros posts da série ‘Lugares diferentes’

‘Lugares diferentes: restaurantes onde a comida não é a atração principal’

‘Lugares diferentes: para quem não tem medo de altura’

‘Albergues diferentes: do gigante dos céus aos cubículos de Londres’

Gostou das dicas ou tem alguma sugestão de restaurante diferente? Então deixe o seu comentário

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ficar por dentro das últimas notícias fresquinhas aqui do blog, clique aqui para assinar o RSS Feed do Sem Destino.

imagine apreciar a vista do Grand Canion em uma plataforma ‘pendurada’ a quase 1.300 metros de altura. Para quem sofre de vertigem, não parece lá uma grande ideia (sem acento… novo acordo ortográfico). Já estive nos prédios mais altos dos Estados Unidos – Empire State Building, Sears Towers e World Trade Center – mas aqui é diferente, pois eu estava em um ambiente fechado, sem vento, no conforto do ar condicionado (ou calefação). O objetivo desses seis pontos turisticos espalhados pelo mundo é outro: dar a sensação de que você está voando. Vamos a eles…

Grand Canyon Skywalk, Arizona, EUA

Essa plataforma em forma de ferradura fica a aproximadamente 1.300 metros do fundo do canion.

Grand Canyon Skywalk

Grand Canyon Skywalk

Grand Canyon Skywalk

Grand Canyon Skywalk

Il Binocolo, Meran, Itália

Nos jardins do castelo de Trauttmansdorff você vai encontrar essa plataforma saindo do meio das árvores. Não sei a altura até o solo, mas me parece alta o bastante para causar pânico nos mais medrosos. A construção foi projetada pelo arquiteto Matteo Thun.

Il Binocolo

Il Binocolo

Il Binocolo

Il Binocolo

Aurland Lookout, Aurland, Noruega

Os arquitetos Todd Saunders e Tommie Wilhelmsen foram contratados para projetar essa plataforma que fica a 600 metros do fiorde de Aurland. A estrutura termina em um fino parapeito de vidro que permite uma boa visão do chão lá embaixo.

Aurland Lookout

Aurland Lookout

Aurland Lookout

Aurland Lookout

Topo do Tyrol, Tyrol, Áustria

A plataforma sobre o  Monte Isidor permite uma vista que não seria possível se ela não estivesse pendurada se projetando a nove metros do penhasco sobre as Geleiras Stubai. O projedo é da empresa Aste Architecture e eu não sei a altura para o solo.

Topo do Tyrol

Topo do Tyrol

Topo do Tyrol

Topo do Tyrol

Dachstein Skywalk, Geleira de Dachstein, Áustria

Com o apelido de ‘Varanda dos Alpes’, a plataforma fica sobre a face de uma montanha de 260 metros de altura (parece pouco comparada às outras, mas não é) e permite uma bela vista da Eslovênia e da República Checa. Para amedrontar bem os turistas, há um chão de vidro bem no meio da construção.

Dachstein Skywalk

Dachstein Skywalk

Dachstein Skywalk

Dachstein Skywalk

The Landscape Promontory, Ticino, Suiça

A construção está prevista para ficar pronta apenas em 2010 e faz parte do projeto de revitalização da Montanha Cardada. O projeto do arquiteto Paolo Bürgi, de aço e titânio, permite que o visitante passeie por entre as árvores e tenha uma vista do Lago Maggiore.

The Landscape Promontory

The Landscape Promontory

Leia os outros posts da série ‘Lugares diferentes’

‘Lugares diferentes: para quem não tem medo de altura’

‘Lugares diferentes: restaurantes onde a comida não é a atração principal’

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ficar por dentro das últimas notícias fresquinhas aqui do blog, clique aqui para assinar o RSS Feed do Sem Destino.

O painel de 30 metros de altura

O painel de 30 metros de altura

Como colocar os visitantes de Leipzig em um ambiente que os fizesse ter a verdadeira dimesão do que a Floresta Amazônica representa, não só em importância, mas também em tamanho?

Esse foi o desafio encontrado pelo artista plástico Yadegar Asisi quando ele resolveu montar a obra ‘Amazonien’ na cidade alemã.

Plataforma de onde se poderá apreciar a obra

Plataforma de onde se poderá apreciar a obra

.

.

.

O jeito foi construir um painel da altura de um prédio de dez andares com um panorâma de 360 graus da floresta com ajuda de cerca de 30 mil fotografias feitas no Brasil.  Imagens da selva serão impressas em faixas de poliéster, formando o gigante mural de 100 metros de largura e 30 de altura… uma imagem de mais de três mil metros quadrados

Os visitantes poderão se deslumbrar com a obra de uma plataforma colocada no centro do salão circular de um gasômetro desativado. A inauguração está prevista para o dia 28 de março.

Yadegar na Amazônia

Yadegar na Amazônia

Para quem acha que o artista está engajado em alguma causa de preservação ambientalista, ou que é simplesmente um desses ecochatos que aparecem por aí, ele explica que sua mensagem tem característica puramente estética: ‘Não me interesso pelo desmatamento da Amazônia.  Eu quero somente representar a beleza e complexidade [da floresta], que estimulam as pessoas a refletir.’

Mas a obra não é a única atração prevista para cidade. Ela faz parte das celebrações dos 150 anos da morte do naturalista Alexander Von Humboldt, de quem eu nunca ouvi falar, mas que parece ser bem importante. Há até uma fundação de incentivo à pesquisa com o nome do cara. Bom, quem quiser saber mais, visite o verbete dele na Wikipedia.

Voltando: além do painel da Amazônia, haverá uma instalação de 25 metros de altura com insetos da região.

Este é o quarto trabalho que Yadegar Asisi, que é conhecido como ‘o artista das ilusões’, realiza para a sua série ‘Panometer’, de pinturas colossais de panoramas em 360 graus. Nos anos anteriores, ele reproduziu o Monte Everest, a cidade de Dresdem no início do século 18 e a Roma antiga do tempo do imperador Constantino.

Painel com a cidade de Dresden no século 18

Painel com a cidade de Dresden no século 18

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

camboriu1Na falta de neve, trenó de montanha… Um teleférico para apreciar a belíssima vista das praias de Balneário Camboriú já seria uma excelente idéia, mas o pessoal do Parque Unipraias resolveu ir além e construiu um trenó de montanha radical, com uma descida de 710 metros por um trajeto sinuoso cortando a mata atlântica. O carrinho, para duas pessoas, é guiado por trilhos e pode atingir velocidades de até 60 km/h. Se você preferir curtir o passeio à adrenalina, há um sistema de freios que pode ser acionado pelo próprio condutor.

A atração, batizada de Youhooo!, comemora os dez anos de fundação do Parque Unipraias, um complexo turístico de 85 mil metros quadrados onde você também pode praticar arvorismo e caminhar por passarelas ecológicas. O brinquedo custou aos cofres do Unipraias a bagatela de R$ 3,5 milhões. A subida conta com três estações interligadas por 47 bondinhos com capacidade para seis pessoas. Para descer, gritando youhooo!!!!, são 30 trenós fabricados pela empresa alemã Wiegand.

Quem vai gostar da novidade é a amiga blogueira Carol Wieser, catarinense de nascença e que adora quando nós falamos do estado natal dela.

Aproveitei que estava escrevendo sobre teleféricos para dar uma pesquisada em outros pelo Brasil. As opções são muitas. Não preciso nem falar do Pão de Açucar, um dos mais famosos do mundo, então vamos a eles:

Campos do Jordão

Campos do Jordão

Campos do Jordão – SP
Achei um site dizendo que foi o primeiro teleférico turístico do Brasil, mas como não achei a data de inauguração e não confirmei a informação, não vou dar certeza. O passeio de 600 m da Vila Capivari ao Morro do Elefante dura 10 minutos e é feito em cadeirinhas individuais. O valor é de R$ 8,00 por viagem.

.

canelaCanela – RS
São 830 metros de viagem em cadeirinhas para uma ou duas pessoas. A volta dura aproximadamente 20 minutos, e os visitantes podem desembarcar nos mirantes com vista para o Cânion da Cascata e o Vale da Lageana. Na descida, tem-se uma visão frontal da Cascata do Caracol, que eu não conheço pessoalmente mas dizem ser belíssima. O ingresso para o Parque do Caracol com direito ao passeio fica em R$ 16,00. Se você tem medo de altura e quiser apenas visitar o parque, vai desembolsar R$ 5,00.

Desde os meus posts sobre os problemas nos cruzeiros marítimos este ano, tenho evitado falar em acidentes. Mas o fato é que em novembro de 2008 aconteceu um no teleférico de Canelas onde oito pessoas ficaram feridas quando as cadeirinhas descarrilharam. Quem quiser, clique aqui para ler a reportagem.

.

alpen_parkTambém em canela fica o Alpen Park, até então o único parque brasileiro com trenós de montanha. A pista tem 950 metros e funciona do mesmo jeito que a de Balneário Camboriú, com trilhos e sistema de freios para os mais calminhos. Para retornar ao ponto de partida, em vez de um teleférico, há um sistema de içamento do próprio carrinho. O preço fica em R$ 14,00 por pessoa ou R$ 23,00 em trenó duplo. O parque oferece ainda tirolesa, arvorismo, escalada e passeios de quadriciculo.

saovicenteSão Vicente – SP
Ligando a Praia do Itararé ao Morro do Voturuá, o passeio tem 750 metros de extensão, chegando a uma altura de 180 metros. Do mirante pode-se ver toda a Praia do Itararé, a Ilha Porchat e a Praia do José Menino, em Santos. O ingresso custa R$ 10,00.

.

Friburgo

Friburgo

Friburgo – RJ
O pessoal de Friburgo se gaba de ter o maior teleférico de cadeirinha do país. São 850 metros de comprimento emum percurso feito em dois estágios. No primeiro mirante, a 160 metros, é possível desfrutar de uma boa infraestrutura de hotel, com restaurante, boliche e parque infantil. No segundo, o chamado Mirante do Morro da Cruz, a 460 metros de altura, a atração fica por conta da vista para a cidade e a serra de Friburgo.

O favorito
Como bom carioca, nem preciso dizer que o bondinho do Pão de Açucar é o melhor e o mais bonito. então, como ele é hors concours, vamos falar do teleférico de Montjuïc, em Barcelona.

Teleférico de Montjuïc

Teleférico de Montjuïc

O percurso atravessa o porto de Barcelona, desde a Torre de San Sebástian, em Barceloneta, até o mirante de Miramar, no morro de Montjuïc (Monte Judeu em catalão), a 173 metros de altura, onde está localizado o castelo de Montjuïc, com o seu museu militar. O passeio dura em torno de 10 minutos e custa 6 Euros. A atração foi construida em 1929 para a exposição mundial e sofreu uma grande renovação em 2004, com carros mais modernos e mais rápidos (para mim, eles poderiam ser mais devagar, porque a vista lá de cima é de tirar o fôlego). Em Montjuïc fica também um dos meus lugares favoritos de Barça, a Font Màgica… lá também fica o Jardim Botânico, o Palau Nacional, o Estadi Olímpic e a Fundação Juan Miró, um dos meus artistas favoritos… Pois é, me empolguei. Acho que eu vou ter que fazer um post só sobre a cidade para falar tudo isso e matar um pouco das saudades.

Quer saber sobre o megateleférico de Cape Town… então leia esse post aqui

Se você já tem medo de entrar em um bondinho, então melhor nem ver esse vídeo:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Tem alguma outra dica de teleférico ou já visitou algum destes? Clique aqui e deixe o seu comentário

Se você veio parar nesse post direro de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Você já pensou em estudar no Hawaii? E na Suiça?? Pois bem, o Guia de Intercâmbio está promovendo palestras por todo o Brasil para que você possa realizar este sonho.

Hwaii Pacific UniversityConfesso que prefiro o Hawaii, então vamos começar por aqui. A Hawaii Pacific University tem dois campi localizados na Ilha principal do arquipélago e oferece diversos programas de graduação e pós. Jornalismo, História, Psicologia, Biologia, Publicidade, MBAs em Administração, Comunicação e sei lá mais o que. São mais de 60 opções de graduação e 12 de pós. Isso sem contar que lá eles oferecem um sistema de Major e Minor, ou seja, você se forma em uma cadeira e sai com uma, digamos, sub-graduação em outra. Além disso, por lá você pode ir fazendo matérias na sua área e só depois decidir no que realmente quer se formar.

As palestras da HPU realizar-se-ão (adoro quando eu posso usar mesóclise, me faz parecer inteligente) nas cidades de Belo Horizonte, São Paulo, Florianópolis, Curitiba e Salvador, e serão ministradas pelo Diretor de Recutamento da universidade.

Aí vão as datas:

Hawaii Pacific UniversityBelo Horizonte
Data: 24 de março de 2008 – segunda-feira
ICBEU
Rua da Bahia, 1723 – Lourdes
Tel: 3271-7255
Horário: 18:00

São Paulo
Data: 31 de março de 2008 – segunda-feira
Associaçao Alumni
Al. Jaú, 1208
Tel: (11) 3067-2916
Horários: 17:00 e 19:00

Florianópolis
Data: 02 de abril de 2008 – quarta-feira
Blue Tree
Rua. Bocaiúva, 2304, Centro
Tel: 3251-5555
Horários: 18:30

Salvador
Data: 28 de março de 2008 – sexta-feira
Hotel Fiesta Bahia
Av. Antônio Carlos Magalhães, 711
Tel: 3352-0057
Horário: 18:00

Curitiba
Data: 01 de abril de 2008 – terça-feira
Inter Americano Portão
Rua Maranhão, 2088 (esquina com a Rápida do Portão)
Tel: (41) 3229-3068
Horários: 18:30

Swiss Hotel Management SchoolAgora, se em vez de praia você gosta de montanhas e neve, então vá para a Suiça. Aqui, porém, os cursos são dirigidos apenas ao pessoal de hotelaria. A Swiss Hotel Management School oferece cursos de hotelaria, organização de eventos e turismo, além de pós-graduação e MBAs. A palestra acontece no Rio de Janeiro e será ministrada por Ludvik Bragason, Diretor do Departamento de Relações Internacionais da Faculdade.

Rio de Janeiro
Data: 31 de março de 2008 – segunda-feira
Pestana Rio Atlantica
Av. Atlantica, 2964, Copacabana
Horário: 18:00

Para se inscrever nas palestras basta entrar no site Guia de Intercâmbios.

Swiss Hotel Management School

Próxima Página »