Estados Unidos


Pois é… chegou a hora de dizer adeus a este blog aqui. Ele ficou pequeno para as minhas ideias mirabolantes. A vontade de ter uma área de vídeos, anúncios, incorporar isso, aquilo e organizar tudo de uma forma completamente diferente acabou me levando a sair do wordpress.com… e ir para o wordpress.org. Foram noites em claro quebrando a cabeça tentando desvendar aqueles códigos em html, php, css e sei lá o quê só para trocar a cor de uma simple fonte. Agora está tudo lá, e vocês podem conferir no meu novo domínio blogsemdestino.com. Alguns links ainda estão quebrados, algumas coisas ainda insistem em sair do lugar, mas isso é algo que ainda vai me levar um tempo até deixar 100%, e uma coisa que eu aprendi nesses meus anos de jornalismo é a “trocar o pneu com o carro andando”. Se ficarmos pensando muito, a ideia não sai do papel. Se tem algum post que voce gosta aqui, não se preocupe, ele já está lá… então, without further ado, visitem, aproveitem, leiam, comentem, critiquem (pero no mucho) e, principalmente, divirtam-se com o novo Sem Destino.

Se você assina o RSS feed do semdestino.wordpress, mude sua assinatura para o blogsemdestino.com. Se ainda não assina, está esperando o quê??? É só clicar no link na página principal do novo blog.

ESTE BLOG MUDOU-SE PARA BLOGSEMDESTINO.COM

Anúncios
Se você está pensando em visitar Nova York entre janeiro e fevereiro, aí vai uma dica para você economizar alguns dolares. Com 200 promoções no cardápio, o Real Deal Winter, da organização de marketing e turismo NYC & Company, incluem entradas de atrações no esquema 2-por-1, créditos de US$ 50 em hotéis e descontos de 50% em estadias nas noites de domingo. Também há promoções em entradas de tearos, circos, tours… e até consultas médicas. Para usufruir, basta entrar no site escolher o programa e imprimir um voucher. Se você for fazer a reserva por telefone, há um código da promoção na página.
Confira abaixo algumas das promoções:
Atrações –
Madame Tussauds – compra uma entrada, leva outra.
Bronx Zoo – 50% de desconto na entrada de criança com a compra de uma de adulto.
The Jewish Museum – 50% de desconto.
Empire State Observatory – 50% de desconto no mapa
City Pass – passe com entrada para seis principais atrações de NY (Empire State, Museu de História Natural, Guggenheim, Metropolitan, MoMA e Cruseiro para a Estátua da Liberdade e Ellis Island) – Compre US$ 140 em tickets por US$ 79 e fure as filas.
Restaurantes
Angus McIndoe Restaurant e B.Smith’s restaurant segundo prato com 50% de desconto.
Russian Tea Room – Compre um buffet de caviar e ganhe 50% de desconto no segundo.
Noite –
The Bubble Louge  – Compre uma taça de champagne e gnhe 50% de desconto na outra.
Comix – 50% de deconto na entrada
Hotéis – em diversos hotéis, como o InterContinental New York Barclay e o SoHo Grand Hotel, fique um mínimo de duas noites (tendo chegado entre quinta e sábado) e ganhe um crédito de US$ 50 em comida e bebida e US$ 50 de crédito para usar em estadia em julho ou agosto de 2010.

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

Santa Barbara, Califórnia, 09.09.2009, dia morno, sem muito o que fazer. Eis que pisca uma lâmpada na minha cabeça. Que tal rabiscar a perna? Andando pela Market Street, entramos em dois tatto shops, mas, sem saber o desenho que queríamos fazer e sem conhecer os tatuadores, fica difícil confiar. É por isso que eu gosto de viajar para lugares onde eu tenho amigos. Rodrigo Clark, companheiro de roubadas de infância, dono da academia Gracie Barra da cidade veio com a indicação: Mogly’s é ‘O Cara’. Chegamos no estúdio do cara, um pernambucano gente boa, e já nos sentimos bem. Cheio de brasileiros, fotos de tatuagens bem feitas na parede, música boa, e então veio a ideia, eu faria uma uma coroa de rei e a Isabela uma de rainha, em baixo, o nome do nosso filho, Gabriel. O Mogly estava ocupado, então coube ao Brenno fazer a arte. Marcamos para o dia seguinte. Ao ver o desenho, ficamos meio ressabiados: será que ficaria bom? Será que valeria a pena sair do Rio para se tatuar com um paulista em Santa Barbara? No final, ficamos de queixo caído com o traço do cara. E todo mundo que vê a nossa tatuagem hoje em dia acha o mesmo. O resultado você vê no vídeo acima,  nas fotos abaixo e no Flickr do Sem Destino.

Rabiscando a perna

Rabiscando a perna

O resultado

O resultado

Tatuagem da Isabela

Tatuagem da Isabela

Gansevoort Hotel

Gansevoort Hotel

Como falei no post sobre o Central Park, a cada vez que vou a Nova York encontro algo novo. Havia nove anos que não visitava a cidade, então foi tempo suficiente para muitas coisas aconteceream, boas e ruins. Achei muito estranho olhar a silhueta da cidade sem o World Trade Center. Passei até perto do Ground Zero, mas realmente não tive muita vontade de ir lá. Do lado bom, pude finalmente visitar o tão falado Meat Packing District, com seus restaurantes, lojas, bares e boates. O lugar surgiu como um novo ponto de encontro de artistas, designers, arquitetos e escritores por volta de 2003, quando passou a ser considerado um local de preservação da história da cidade e ganhou o nome de Gansevoort Market History District. O nome de Meatpacking vem do passado da área como um centro de matadouros e empacotadoras de carne.

Veja mais fotos no Flickr do Sem Destino

Pastis

Pastis

Seguindo as dicas de minha tia novaiorquina, fomos comer no restaurante Pastis, um bistrô francês com boa, e cara, comida, gente bonita e garçons educados e conversadores. Acabamos gastando mais do que gostaríamos por uma comida que não era lá essas coisas, mas a atmosfera do local compensou. Alimentados, seguimos para conhecer as boates do lugar. Após pagar cerca de USD 100 no jantar, a última coisa que queríamos fazer era gastar o que sobrou das nossas verdinhas na entrada de uma boate que nem sabíamos se sería boa. Tivemos uma grata surpresa logo na primeira tentativa. O lounge do hotel Gunsevoort, localizado no alto de um prédio de 14 andares, com um telhado de vidro que permite uma bela vista da cidade, não cobrava entrada. A Isabela ficou falando desse lugar por meses antes de nós viajarmos, e realmente vale a pena.  Além da vista, o lugar tem uns quatro ambientes com mesinhas, sofás, lareiras, gente bonita e boa música (senti falta de um DJ lá. Não gosto quando não há ninguém controlando o som. Talvez porque eu seja DJ, mas ter alguém atrás das pick ups faz diferença).

Entrada do Gansevoort

Entrada do Gansevoort

Para quem está acostumado à badalação do Soho ou do Village, o Meatpacking é uma boa opção. A diferença é que no Village, os bares apostam na música ao vivo. Aqui, o negócio é mais a badalação mesmo. Após curtir um pouco o terraço do Gansevoort, voltamos para a rua para procurar outro lugar. A fila em frente a boate Cielo nos desencorajou e já pensávamos em voltar para o hotel quando vimos algumas pessoas descendo uma escadinha escondida no número 675 da Hudson Street. Perguntamos ao segurança o que era, e ele falou para entrarmos e descobrirmos por nós mesmos… e, o melhor, sem ter que pagar. Essa foi a nossa mais grata surpresa. O 675 bar é um subterraneo de pedra, com mesa de sinuca, DJ, gente animada e até uma escultura de cavalo em tamanho real. Espalhado pelo ambiente, quartinhos com diferentes atividades… em um, há uma televisão passando filmes, no outro, videogames, há ainda uma biblioteca como se alguém fosse ler no meio da noite) e uma área com jogos de tabuleiro (Banco Imobiliário depois de alguns drinques deve ser a maior diversão). No dia em que estivemos lá, estava rolando um afterparty de algum evento e, no comando do som, estava o ex-namorado de Pamela Anderson, Kid Rock, fazendo scratches no toca-discos e mandando um rap de improviso no microfone, arrancando gritinhos das moças mais empolgadas. Uma chegou até a subir no tal cavalo, mas foi rapidamente retirada pelo segurança.

Kid Rock... rocking at 675
Kid Rock… rocking at 675
You go girl...

You go girl...

 

O High Line Park é um capítulo à parte, que merece uma visita durante o dia. O parque foi construido em uma linha de metrô suspensa, que funcionava desde 1930 e foi desativada em 1980. Sem uso, a prefeitura decidiu demolir a construção, mas esbarrou na determinação dos locais em preservá-la. A solução foi construir um parque a uns 10 metros de altura. A primeira parte (entre as ruas Gansevoort e 20) foi inaugurada no meio do ano, e a segunda (até a rua 30) está prevista para o ano que vem. Clique aqui para ver fotos do parque.
Site: www.thehighline.org
Horário: de 7h às 22h.
Clique para fazer o download do mapa.

Assista a um vídeo sobre o parque:

Há tantas atrações no lugar que eu gostaria de ter voltado no dia seguinte, mas o meu voo saía às 8 da matina no dia seguinte e eu não queria perdê-lo. Separei aqui uma lista de algumas coisas para se fazer por ali. Quem quiser, pode também fazer o dowload de um mapa do local, com todas as dicas, clicando aqui.

Restaurantes, bares, cafes e afins:

5 Ninth – O charme deste restaurante de comida americana está em seu prédio, uma townhouse de 1850 com um belo pátio externo e lareiras em todos os andares.
Endereço – Ninth Avenue, nº 5, esquina com rua Gansevoort.
Tel.: 212-929-9460
Site: www.5ninth.com

APT – escondido entre os prédios, este bar oferece uma pista no andar de baixo e um lounge no de cima. Diferentemente da maioria, há uma entrada de USD 10. A decoração, onde há até uma cama em um dos ambientes, é uma das atrações, assim como jogos de tabuleiro.
Endereço: 419 W 13th St
Tel.: 212-414-4245

Ara Wine Bar – Uma pequena casa de vinhos com decoração indiana. Fechado aos domingos.
Endereço: 24 Ninth Avenue 212.242.8642
Site: www.arawinebar.com

Brass Monkey – Pub Irlandês onde a boa é apreciar um drink durante no terraço durante o verão.
Endereço: 55 Little West 12th street.
Telefone: 212-675-6686
Site: www.brassmonkeybar.com

Buddakan – A comida e a decoração são chinesas, mas com uma pitada de francês e o tempero de Nova York. O espaço, projetado pelo renomado Christian Liaigre é gigantesco, com 260 lugares e uma mesa comunitária para mais de 20 pessoas. Há ainda um espaço privado na chamada Golden Library.
Endereço: 75 Ninth Avenue 212.989.6699
Site: www.buddakannyc.com

Kiss & Fly – Com decoração romana e iluminação moderna, este clube tem um dos melhores sistemas de som de toda Manhatam e capricha nos eventos com DJs de primeira linha.
Endereço – 409 West 13th Street
Tel.: 212.255.1933
Site: www.kissandflyclub.com

675 Lounge

675 Lounge

675 Bar – Já falei sobre este lugar durante o post, então não vou me alongar. Basta dizer que foi um dos meus favoritos, e olha que eu sou bem chato.
Endereço: 675 Hudson Street enter on W. 13th between
Hudson and 9th Ave.
Tel.: 212.699.2410

Old Homestead Steakhouse – Fundado em 1868, é o steakhouse mais antigo de Nova York.
Endereço: 56 Ninth Avenue
Tel.: 212.242.9040
Site: http://www.theoldhomesteadsteakhouse.com

The Garden at ONO – Restaurante japonês com pátio e um jardim de tirar o fôlego, combinando os elementos do fogo, água, terra e ar. A peça principal é uma piscina cercada de bangalos privativos.
Endereço: 18 Ninth Avenue
Tel.: 212.660.6766

Paradou – Comida francesa em um ambiente inspirado em vilas da região de Provença
Endereço: 8 Little West 12th Street
Tel.: 212.463.8345
Site: www.paradounyc.com

Pastis

Pastis

Pastis – Já falei sobre o restaurante no post, um bistrô francês que reúne gente bonita e animada.
Endereço: 9 Ninth Avenue
Tel.:212.929.4844
Site: http://www.pastisny.com

Pop Burger – Fast food com estilo, essa é a proposta do restaurante. O restaurante é uma ode à cultura e arte pop.
Endereço: 58-60 Ninth Avenue
Telefone: 212.414.8686
Site: http://www.popburger.com

Ronnybrook Farm Dairy – Que tal sentar no balcão e tomar um leite direto de uma garrafinha de vidro? Ou um sorvete feito na hora? Se você gosta de tudo que deriva do leite, este é o seu lugar. Ah, eles também têm sanduiches.
Endereço: 75 Ninth Avenue – in Chelsea Market
Tel.: 212.741.6455
Site: http://www.ronnybrook.com

Son Cubano – A atmosfera do lugar levam você à Cuba dos anos 50, com decoração e música ao vivo.
Endereço: 405 West 14th Street 212.366.1640
Site: http://www.soncubanonyc.com

T Salon – A primeira casa de chá / cafe / mercado ecológicamente autosustentável de Nova York.
Endereço: 75 Ninth Avenue – in Chelsea Market
Telefone: 212.243.0432
Site: http://www.tsalon.com

The Green Table – Restaurante orgânico com um menu diário que reflete o que há de mais fresco nos mercados locais. Carta de vinhos e cervejas com bebidas sustentáveis, orgânicas e biodinâmicas.
Endereço: 75 Ninth Avenue – in Chelsea Market
Tel: 212.741.9174
Site: http://www.cleaverco.com

Galerias de arte:

Heller Gallery – Exibição principalmente de trabalhos em vidro de artistas renomados.
Endereço: 420 West 14th Street
Tel: 212.414.4014
Horário – De terça à sábado de 11h às 18h
Site: http://www.hellergallery.com

Ivy Brown Gallery – Galeria eclética com exposição de fotos, pinturas, trabalhos em vidro.
Endereço: 675 Hudson Street
Tel: 212.925.1111
Horário: de segunda à sábado de 12h às 17. Quintas até as 21h
Site: http://www.ivybrowngallery.com

Ground Zero Museum Workshop – Tours guiados de 90 minutos com imagens e artefatos encontrados no World Trade Center. Recomenda-se reservar antes.
Endereço: 420 West 14th Street, 2nd Floor
Tel: 212.209.3370
Preço: $19.00. Fechado às quartas-feiras
Site: http://www.GroundZeroMuseumWorkshop.com

Leo Kesting Gallery – Apresenta o trabalho de artistas iniciantes.
Endereço: 812 Washington Street
Tel: 917.650.3760
Site: http://www.leokesting.com

Milk Studios and Gallery – Galeria com quase 2 mil metros quadrados com arte contemporânea.
450 West 15th Street 212.645.2797
Six thousand square foot gallery that features contemporary and creative popular art shows. The gallery is the ground-level companion to the 45,000 square foot Milk Studios that also offers production and casting services.
http://www.milkstudios.com

Wooster Projects – especializada na obra de Andy Warhol
Endereço: 418 West 15th Street
telefone: 212.871.6700
Site: http://www.woosterprojects.com

Hoje entra no ar a TV Sem Destino, um projeto que venho amadurecendo há algum tempo, mas para o qual não tinha as ferramentas necessárias. Após uma ida aos Estados Unidos, onde é tudo mais barato, finalmente consegui comprar um computador bom o suficiente para aguentar os pesados programas de edição que eu uso. Também coloquei na bagagem uma câmera de vídeo e outra de fotografia, e rezei para passar na alfândega com tudo isso. Os programas eu só consegui instalar na semana passada e ainda tive que aprender a mexer no After Effects para fazer uma vinhetinha no começo e no fim. É difícil conciliar trabalho, filho, esposa, casa e um projeto pessoal como este. Aproveitando o embalo das estreias aqui no site, criei também o Flickr do Sem Destino, onde aos poucos vou colocando todas as fotos das minhas viagens. Então, without further ado, estamos no ar com um `videopost` sobre o meu passeio de bicicleta entre Venice e Santa Monica. A ideia é colocar um vídeo por semana, só espero que isso não acabe com o meu casamento.

Welcome to Venice Beach

Welcome to Venice Beach

———————————————————————————

Veja todas as fotos da viagem no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

Relaxando no Great Lawn

Relaxando no Great Lawn

Nova York é a minha cidade preferida nos Estados Unidos, não é à toa que já fui para lá umas 7 vezes, sendo que em três dessas eu fiquei mais de um mês. Já fiz curso de inglês lá, já trabalhei, já passeei, e sempre que vou, independente do motivo, encontro novidades que me convencem de que valeu à pena voltar. Mas não adianta, o meu lugar favorito na Grande Maçã é o Central Park. Por isso evito ir à cidade no inverno, para poder cutir tudo o que o parque tem a oferecer.

Uma observação aqui: descobri que o monitor do meu computador novo é muito claro. Então, quando fui tratar as fotos, dei uma escurecida. Descobri aqi no trabalho, que as fotos ficam escuras dependendo do monitor.

Clique na foto para ampliar

Clique na foto para ampliar

Um dos motivos dessa minha paixão pelo lugar está diretamente relacionado à sua história. Toda a região ali era um pântano, com muitas favelas. Não vou me alongar nisso, quem quiser saber mais, assista ao documentário ‘Descontruindo Nova York’, no Discovery Channel. Mas o fato é que tudo ali foi criado pelo homem: os lagos, as cachoeiras, as árvores (ok, elas não foram criadas… foram plantadas, mas vocês entenderam). A ideia era que, sempre que o visitante mirasse uma paisagem, ele se sentisse dentro de um quadro. O parque ficou pronto em 1873, após 13 anos de construção, e é impossível imaginar Nova York sem aquele pulmão verde bem no meio da cidade.

Clique na foto para ampliar

Clique na foto para ampliar

Minha história de amor com o local começou em 1993, quando eu tinha apenas 15 anos e visitei a cidade pela primeira vez, para um curso de inglês de um mês e pouco. Passava tardes ali com meus amigos, jogando frisbee, futebol, ouvindo alguém tocando violão, assistindo aos shows do Summer Stage, ou simplesmente deitado naquela grama verde, pegando sol. O que os engenheiros, arquitetos e paisagistas fizeram realmente é impressionante. Dentro do Central Park você está em outro mundo. Não se vêem os prédios, não se escutam os carros e você nem percebe que está em uma das maiores metrópolis do planeta.

Isabela, fazendo pose

Isabela, fazendo pose

Voltei lá, claro, nesta minha viagem, e tirei um dia inteiro para passear pelas entranhas daquele monstro de 3,41 km2, que se extende da rua 59 à 110. Se você for para lá, faça o mesmo. Não adianta só andar pelo parque, tem que vivenciá-lo. Deitar na grama do Great Lawn, parar para tomar um refrigerante com hot dog apreciando um dos muitos lagos, parar para apreciar as pessoas, os artistas de rua e, principalmente, a bela paisagem. Para quem se empolgou, aqui vão algumas dicas:

Contraste entre o verde e a selva de pedra

Contraste entre o verde e a selva de pedra

Existe uma infinidade de maneiras de se conhecer o parque. Pode-se alugar uma bicicleta (cerca de USD 20 por duas horas. Desconto para reservas online) ou mesmo fazer um bike tour guiado (USD 45 adultos e USD 35 crianças. Reservas online têm desconto). Eu não recomento. As bicicletas podem andar apenas por algumas vias designadas do parque, e, assim, você deixa de conhecer as melhores partes. A mesma coisa vale para os bike-taxis  (conhecidos lá como ‘pedicabs’) , que oferecem tours de 2 a 4 horas, com valores que podem variar de USD 30 a 60. Os que ficam espalhados por dentro do parque são mais baratos. Evite os da Columbus Circle, em frente ao Plaza Hotel. Há ainda a opção do famos passeio de charrete, que custa por volta de USD 60 (também se concentram no Columbus Circle). Esse aí eu só recomendo se você estiver fazendo uma noite romântica com sua alma gêmea e quiser impressionar. Escolha uma noite mais fria, leve uma champagne e passeie aconchegado debaixo do cobertor quentinho. Fora isso, vá á pé! Leve um lanchinho para um piquenique em um dos gramados (recomendo o Great Lawn ou o Cheep Meadow) e uma máquina fotográfica com um cartão de memória bem robusto.

Bike Rental Central Park – https://www.bikerentalcentralpark.com/
Descontos para reservas online.
348 W 57th ST

Passeio de charrete

Passeio de charrete

As atrações espalhadas pelo parque são inúmeras, mas eu vou tentar enumerá-las aqui.

Teatro – Todo verão, a trupe do Joseph Papp Public Theater organiza um festival chamado ‘Sheakspeare in the park’, com peças gratuitas ao ar livre no Delacorte Theater. Mas outros autores também têm vez. Os ingressos, dois por pessoa, são distribuídos a partir de 13h nas bilheterias do teatro. As filas, porém, começam a se formar desde cedo. Se você quiser vivenciar essa experiência, dedique um dia inteiro da sua vida, a não ser que você conheça alguém que assine o material do Public Theater. Eles têm direito a comprar ingressos.

Vista do Belvedere Castle, com as arquibancadas do teatro. Clique para ampliar

Vista do Belvedere Castle, com as arquibancadas do teatro. Clique para ampliar

Shows – No meu primeiro dia em NY, Whitney Houston cantou, e desafinou feio, pelo que eu fiquei sabendo pelos jornais, no meio do Great Lawn. A Orquestra Filarmônica de NY faz diversos concertos no parque. As pessoas levam cestas enormes de piquenique, candelabros, pratos de porcelana, talheres de prata… imperdível. Fique ligado na programação de shows do parque. Quem sabe você não assiste à sua banda favorita no meu lugar favorito.

No verão, a City Park Foundation organiza o evento Summer Stage, onde diversos músicos dos mais variados estilos e países se apresentam. Eu já assisti a um show do Caetano Veloso lá (e acabei saindo na capa do NY Times, dançando no meio da multidão).
Localização: Rumsey Field, no meio do parque na altura da rua 70.
Entrada gratuita

Zoológico – A apenas alguns metros da 5ª Avenida, você vai encontrar um zoológico com mais de 130 espécies de animais, do casa de ursos polares Ida e Gus a pequenas formigas. Um passeio pelo local leva o visitante a conhecer uma variedade de habitats, todos cuidadosamente planejados para recriar as condições naturais de cada animal. No mesmo local há um zoo para crianças.
Localização: East Side, entre as ruas 63 e 66.
Horário de funcionamento: Abril a outubro – de segunda a sexta, de 10h às 17h. Fim de semana, até as 17h30m. Novembro a março – diariamente, de 10 às 16:30
Preços: Adultos – USD 10, Idosos – USD 7, Crianças de 3 a 12 anos – USD 5, e crianças abaixo de 3 anos – grátis.
Informaçõeshttp://www.centralparkzoo.com/

Rink de patinação / piscina – No verão, pessoas se refrescando em uma bela piscina pública. No inverno, um rink de patinação. Assim é a Lasker Pool & Rink. Na falta de uma praia, vale chegar lá para um mergulho, mas o melhor é no inverno, com dezenas de pessoas patinando.

Há ainda um outro rink de patinação no parque, o Wollman Rink. No verão, o gelo dá lugar a uma pista de cimento e os patins in line dominam a cena.

Lasker Poll & Rink
Localização: no centro do parque, entre as ruas 106 e 108.
Preços: a piscina é grátis, mas o patins no gelo custa USD 4 (adulto) e USD 2 (crianças), fora o aluguel do equipamento.
Horários: Patinação no gelo – de Novembro a março, diariamente; Piscina – a partir de 1º de julho até meados de setembro, diariamente, de 11h às 15h e de 16h às 19h.
Informações: 212-534-7639

Wollman Rink
Localização: East Side, entre as ruas 62 e 63.
Horários: segunda e terça, de 10h às 14:30; quarta e quinta, de 10 às 22; sexta e sábado, de 10 às 23; e domingos, de 10 às 21h. A patinação no gelo funciona de novembro a março.
Preços: de segunda a quinta – adultos, USD 10; crianças, USD 5.25. De sexta a sábado – adultos, USD 14; crianças, USD 5.50. Aluguel de patins, USD 6.
Informações: 212-439-6900

Loeb Boathouse

Loeb Boathouse

Restaurantes – espalhados pelo Central Park, há várias lanchonetes onde você pode comer alguma coisa rápida, mas os restaurantes mais conhecidos são o Tavern on the Green e o Loeb Boathouse. O Boathouse é um bom lugar para um jantar romântico, assistindo ao pôr do sol e vendo o vai-e-vem dos barquinhos. Dividido em restaurante, louge, cafe e bar & grill, oferece uma grande seleção de vinhos e uma variedade de carnes e peixes. Quem se empolgar, pode alugar um barco a remo ali mesmo. No verão, ainda é possível fazer passeios de gôndola.

O Tavern on the Green é um dos restaurantes mais conhecidos da cidade. No verão, o salão Crystal Garden recebe festas dançantes. O lugar é palco de grandes eventos e festas de casamento. Prepare-se para gastar bem.

Tavern on the Green –
Localização: West Side, entre as ruas 66 e 67.
Horários: Almoço – de segunda a sexta, das 12h às 15h; fins de semana, a partir das 11h. Jantar – de segunda a quinta, de 17h30m às 22h30m; sextas e sábados, das 17h às 11h45m. Brunch – sábados e domingos, às 10h.
Reservas: 212-873-3200
Site: http://www.tavernonthegreen.com/

Loeb Boathouse –
Localização: East Side, entre as ruas 74 e 75.
Horários: depende da área do restaurante, mas geralmente os horários vão de 9h (fast food) às 22h (restaurante)
aluguel de barcos: de abril a outubro, dependendo do tempo. Diariamente, de 10h às 17h. preço: USD 12 a primeira hora e USD 2.50 cada 15 minutos adicionais. USD 20 de deposito de segurança. Máximo de quatro pessoas por barco.
Passeios de gôndola: verão, de segunda a sexta, das 17h às 21h e sábados e domingos, das 14h às 21h. Preço: USD 30 por meia-hora.
Reservas: 212-517-2233
Site: http://www.thecentralparkboathouse.com/

Museus – Como ainda vou fazer um post só sobre este assunto, e este post já está gigante, não vou me alongar muito. Sete museus ficam dentro, ou nos arredores, do Central Park. São eles o Cooper-Hewitt, o Frick Collection, o Guggenhein, o Museu de História Natural, o Metropolitan Museum of Art, o NYC Museum e o Historical Society Museum.

Sculptures –

Sports – O Central Park oferece uma variedade de aparelhos e campos para a pratica de esportes. De uma simples corrida ou pedalada por suas ruas à campos de futebol, beisebol, quadras de tênis, vôlei e gramados para a prática de criquet e boliche (isso mesmo, boliche na grama). Ainda há vários programas com aulas de thai chi chuan, ioga e sei lá mais o quê. Dê uma olhada no mapa para descobrir onde praticar cada um dos esportes.

Crianças – Além do zoo para crianças, há diversos playgrounds espalhados pelo parque, um pequeno parque de diversões, teatro de marionetes, carrousel, isso e mais aqulio outro também. Vamos a algumas delas:

Teatro de Marionetes –
Localização: Sweedish Cottage, rua 79 com West Drive, ao sul do Delacorte Theater.
Horários: acho que só não rola em setembro. No verão, de segund a sexta, de 10h30m às 12h. Às quartas, há uma apresentação às 14h30m; e sábados e domingos, 13h.
Preços: adultos, USD 8; crianças, USD 5,
Reservas: 212-988-9093

Friedsam Memorial Carrousel –
Localização: rua 62, no meio do parque.
Horários: a partir de abril, de segunda a sexta, de 10h às 18h e sábados e domingos, de 10h às 19h. Inverno, de 10h até anoitecer.
Preço: cerca de USD 1.
Telefone: 212-879-0244

Alice no País das Maravilhas (Margarita Delacorte Memorial) –
Estátua em bronze com personagens do conto de Lewis Carrol
Localização: East Side, altura da rua 74.

Vista do parque de diversões Victorian Gardens

Vista do parque de diversões Victorian Gardens

Victorian Gardens (parque de diversões) –
No verão, o Wollmans Rink se transforma em um parque de diversões para crianças, com carrousels, montanhas-russa e todos os tipos de brincadeiras.

Pontos de interesse – Esculturas, chafarizes e até um castelo fazem parte do roteiro dos visitantes. Vou listar aqui alguns dos que mais gosto:

Belvedere Castle – Com uma vista de 360 graus do parque, bem ao lado do Delacorte Theater, há um castelo medieval, onde também funciona o Henry Luce Nature Observatory. Visitá-lo é imprescindível.
Localização: no meio do parque, na altura da rua 79.

Betheda Terrace

Betheda Terrace

Betheda Terrace and Fountain – Outra visita obrigatória. Um dos lugares mais visitados, fotografados e apreciados do parque. Cenário de diversos filmes de Holywood. Na parte de cima, uma bela vista do parque. Embaixo, um túnel ornamentado com padrões de cerâmica. Na parte baixa, há ainda um chafariz, onde se pode observar o vai-e-vem das pessoas.
Localização: no meio do parque, na altura da rua 72.

Pontes – um show à parte. Nenhuma ponte do parque é igual a outra. Em um passeio à pé, você vai passar por várias delas.

Lagos – também são vários, de norte a sul do parque. Alguns oferecem passeios de barco, outros, uma vista de tirar o fôlego. Cobrindo um oitavo da superfície do parque, o Central Park Reservoir, oficialmente chamado de Jaqueline Kennedy Onassis Reservoir, é o maior de todos.

Gramados – Cheep Meadow, North Meadow e Great Lawn são os maiores. Excelente lugar para fazer um piquenique e simplesmente deitar e relaxar na grama verde e fofa.

The Mall – Um caminho cercado de árvores, ao sul do Betheda Terrace, onde se podem ver diversas esculturas.

Bom, pelo tamanho do post, vocês devem ter notado o quanto eu gosto do parque. Deixei de listar muitos lugares interessantes, mas vou parar por aqui, senão acabo escrevendo um livro. A minha maior dica porém é: tire um dia inteiro e simplesmente caminhe pelo parque, com um mapa na mão para não se perder.

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

———————————————————————————

Leia outros posts sobre destinos nos Estados Unidos:

De Venice a Santa Monica em duas rodas

A Odisséia de Pedro – de SF ao RJ em quatro dias

Cenas americanas – de NY a Monterrey em 15 fotos

Wi-fi no avião – postando a 30 mil pés de altitude

O reino mágico de Walt Disney

Washington – descobrindo o centro do poder americano

Gettysburg – descobrindo um campo de batalha

Welcome to Venice Beach

Welcome to Venice Beach

Fiquei pensando qual seria a melhor forma de colocar os posts sobre esse monte de lugares que eu visitei na viagem. Poderia escrever dia a dia, seguindo uma ordem cronológica. Mas aí ví que eu ia cansar os meus inúmeros leitores com informações sobre NY antes de chegar a LA e SF. Resolvi então que ia seguir o meu humor e postar o que vier na cabeça. Depois vou linkando um post a outro para quem quiser usar as informações e montar um roteiro de viagem. Olhando as fotos, me deu vontade de escrever sobre as praias de Venice e Santa Mônica, um dos meus lugares favoritos em LA. Então vamos lá…

Mas antes, assista ao vídeo do passeio na TV Sem Destino:

Venice Pier - clique para ampliar a imagem

Venice Pier - clique para ampliar a imagem

O dia começou com um belo café da manhã no King Road’s Cafe, indicação da Isabela, que já morou na Califórnia e ficou falando do bendito lugar por dias. Realmente a comida é ótima (meio pesada para a primeira refeição do dia, mas nos States isso é normal). A frequência também dá o charme do lugar… só gente bonita. O preço acompanha a fama.  USD 45 não é lá muito barato para um desayuno, mas no dia seguinte você compensa comendo uma panqueca no IHOP, ou um muffin no Mc Donald’s.

King Road's Cafe

King Road's Cafe

Com a pança cheia, lá fomos nós gastar as (muitas) calorias adquiridas no King Road’s com uma bela andada/pedalada pelas praias de Venice e Santa Mônica. Pagamos USD 10 para estacionar o nosso conversível em frente à praia de Venice. Sim, eu estava me sentindo rico quando cheguei à LA e aluguei um Chrysler Sebring conversível para curtir o sol californiano. O upgrade saiu pela metade do preço, desconto oferecido pela locadora Dollar àqueles que voam pela American Airlines. Se você quiser fazer essa loucura mesmo sem ter viajado pela AA, não tem problema… minta. Eles não pedem para ver a passagem (uma observação, o carro foi devidamente trocado por um de menor valor assim que eu me toquei da maluquice que havia feito).

O conversível durou dois dias

O conversível durou dois dias

Um breve passeio pelo pier de Venice, uma olhadinha na arquitetura das casinhas à beira-mar e, com o coco rachado pelo sol, fomos dar um mergulho. Mesmo no verão, a água do mar na Califórnia é beeeem fria, mas nada que um carioca acostumado ao gelo  das praias do Rio quando bate o vento de leste não tire de letra. Demos um passeio também pelas ruas de dentro, com seus inúmeros restaurantes e surf shops, e seguimos para a missão do dia: pedalar do pier de Venice ao de Santa Mônica, um senhor que completaria 100 anos com uma grande festa dali a três dias (para saber mais sobre o aniversário do pier, leia este post no blog da amiga Lúcia Malla).

Parabéns para você...

Parabéns para você...

O aluguel das duas bicicletas ficou a USD 40 por cerca de três horas, tempo mais do que suficiente para pedalar os quatro quilômetros e meio entre as duas praias. Poderíamos também ter alugado uma bicicleta para dois, um triciclo, um skate e até um Segway, aquele negócio tipo um patinete motorizado que você controla com o balanço do corpo (USD 75 por duas horas. É obrigatório um depósito de segurança de USD 250 feito no cartão de crédito).

Just Cruisin`

Just Cruisin`

O mais legal do passeio, porém, está no primeiro trecho, ainda em Venice, onde fica uma feira com tudo quanto é tipo de coisa… e gente. De caveiras artesanais mexicanas a freak shows com tartarugas de duas cabeças, passando por música ao vivo, DJs, grafiteiros, lojas de artigos para a galera da fumaça, gente fantasiada, tatuada e muito mais. Perdi algumas horas ali, só pareciando o movimento. Eu gosto muito de museus, mas realmente o que mais me facina é a rua, as pessoas e a arte que vem disso, espontaneamente.

Freak out! Le Freak, C'est Chic

Freak out! Le Freak, C'est Chic

Things you only see in Venice

Things you only see in Venice

 

Continuamos pedalando rumo ao pier de Santa Mônica, notando a mudança de clima entre uma praia e outra. Venice é dos malucos, Santa Monica, dos ricos. Dá para notar isso nos estacionamentos, nas construções à beira-mar, na frequência na praia. Chegando ao aniversariante centenário, mais uma vez paramos para ver as pessoas. Skatistas tentavam descer as escadas de ollie, gente feia e bonita passando, crianças… muitas crianças. Na ponta do pier há um parque de diversões, com montanha-russa, roda-gigante (USD 15 o passeio), carro de bate-bate e muitas brincadeiras. Há também diversos restaurantes (a maioria fast food) e banheiros. Ahhh… há também uma diminuta área onde se pode fumar, já que em toda a extensão de praia naquela região o tabaco é proibido.

Santa Monica Pier

Santa Monica Pier

 

Skateboarding...

Skateboarding...

 

No final, pedalamos o caminho de volta… eu feliz por ter conhecido esse lugar tão eclético e animado e a Isabela, por poder relembrar sua fase californiana.

Aqui vão algumas dicas para você curtir a sua visita às praias:

Restaurantes:

Venice:

Café Brasil – não costumo indicar restaurantes de comida brasileira, até porque quem viaja que conhecer outros sabores, mas esse aqui vale a pena.
10831, Venice Blvd.

Primitivo Wine Bistro  – Sente no pátio na parte de trás do restaurante, mais aconchegante e sem o barulho do happy hour, e peça um dos muitos pratos mediterrâneos da casa.
1025, Abbot Kinney Blvd.

James’ Beach – Modern American confort food é o que eles servem. O que isso significa? Um suculento N.Y. Stake, muita coisa com bacon e alguns frutos do mar.  Peça o peixe com shiitake e pure de batatas com wasabi.
60 N, Venice Blvd

Roosterfish – Bar gay com mesa de sinuca, pinball, dardos e video games.
1302, Abbot Kinney Blvd

The Otheroom – com filiais em outros cinco pontos badalados dos Estados Unidos, como o SoHo em NY, este bar apoia os artistas locais, expondo e vendendo suas obras à clientela.
1201, Abbot Kinney Blvd

Venice recreation center

Venice recreation center

Aluguel de bicicletas e afins:

Venice Bike & Skates
21 Washington Boulevard, Venice, CA 90292
(310) 301-4011

Manny’s Low Rider Bikes
1613 Lincoln Boulevard, Venice, CA 90291
(310) 306-3452

M D R Bikes
2472 Lincoln Boulevard, Venice, CA 90291
http://www.helenscycles.com
(310) 306-7843

A arte está nas ruas

A arte está nas ruas

Artes:

Venice:

G2 Gallery – especializada em fotos da natureza
1503, Abbot Kinney Blvd

Eletric Lodge – Centro de artes visuais e performáticas que investe no meio-ambiente.

Venice Art Walls – durante todo o ano, grafiteiros são convidados a pintar muros e paredes espalhados pela praia.

Santa Monica:

Powerhouse Theather – peças tradicionais. Até o final de setembro, Julio Cesar, de Sheakspeare.
3116, 2nd St

Santa Monica Museum of Art – SMMoA – Arte contemporânea
2525, Michigan Ave

Bergamot Station – O maior complexo de artes e centro cultural da Califórnia.
2525, Michigan Ave building A3

Veja mais galerias de arte em Santa Monica

Quem lembra? Zoltar, máquina do filme `Big`

Quem lembra? Zoltar, máquina do filme `Big`

Setor de fumantes - Sta.Monica
Setor de fumantes – Sta.Monica

———————————————————————————

Veja todas as fotos da viagem no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

Próxima Página »