brasil


Pois é… chegou a hora de dizer adeus a este blog aqui. Ele ficou pequeno para as minhas ideias mirabolantes. A vontade de ter uma área de vídeos, anúncios, incorporar isso, aquilo e organizar tudo de uma forma completamente diferente acabou me levando a sair do wordpress.com… e ir para o wordpress.org. Foram noites em claro quebrando a cabeça tentando desvendar aqueles códigos em html, php, css e sei lá o quê só para trocar a cor de uma simple fonte. Agora está tudo lá, e vocês podem conferir no meu novo domínio blogsemdestino.com. Alguns links ainda estão quebrados, algumas coisas ainda insistem em sair do lugar, mas isso é algo que ainda vai me levar um tempo até deixar 100%, e uma coisa que eu aprendi nesses meus anos de jornalismo é a “trocar o pneu com o carro andando”. Se ficarmos pensando muito, a ideia não sai do papel. Se tem algum post que voce gosta aqui, não se preocupe, ele já está lá… então, without further ado, visitem, aproveitem, leiam, comentem, critiquem (pero no mucho) e, principalmente, divirtam-se com o novo Sem Destino.

Se você assina o RSS feed do semdestino.wordpress, mude sua assinatura para o blogsemdestino.com. Se ainda não assina, está esperando o quê??? É só clicar no link na página principal do novo blog.

ESTE BLOG MUDOU-SE PARA BLOGSEMDESTINO.COM

Como, infelizmente, ainda não tive a oportunidade de passar o réveillon em Florianópolis, mandei emails para meus fiéis leitores do Sem Destino perguntando como foi a festa por lá. A minha grata surpresa veio no email do amigo André Varanda, que deu uma de correspondente de guerra e me mandou um texto completo que vocês conferem a seguir:

“Pode-se dizer que o reveillon de Florianópolis é dividido em duas partes – a primeira, famílias e pessoas mais velhas que vão até a Avenida Beira-mar curtir a queima de fogos na ponte Hercílio Luz e a segunda parte de jovens e pessoas que estão procurando agitação, que se dirigem a praia de Jurerê Internacional.

Ao contrário das expectativas Jurerê não estava completamente parada e com transito caótico. Era possível trafegar em 15 ou 20 minutos desde a saída na estrada até encontrar um lugar para parar o carro. Claro, as ruas estavam tomadas por pessoas e carros, o que fazia as vagas mais próximas à praia estarem esgotadas. O ponto positivo é que em qualquer lugar que se fosse parar o carro, nenhum flanelinha (guardador de carros) era encontrado.

Já na areia a praia estava completamente lotada, em uma rápida caminhada desde o Parador 12 (P12) até o club Taikô, foi possível constatar este fato. Pessoas com tendas de camping ocupavam os espaços mais privilegiados da praia, restando aos “foliões” que estavam “a pé”, as partes mais próximas ao mar.

Com certeza em toda a extensão de 2 km da praia o club Taikô comandava de longe a festa. As pessoas se aglomeravam em volta ao club que retribuía com um grande som eletrônico animando o pessoal. Dentro do club era possível ver muitas pessoas famosas. A bagatela para curtir o club Taikô naquela hora era de R$1.200. ´

O Parador 12 por sua vez, até meados de meia noite coloca um som mais baixo, quase inaudível  as pessoas da praia. Não ficando muito atrás o Parador colocava o preço na porta de R$1.000 para quem quisesse adentrar o club naquele momento.

A queima de fogos em Jurerê Internacional, fica por conta de alguns grupos de pessoas, não existe uma queima oficial, então cabe aos mais empolgados fazerem suas próprias baterias de fogos.

Por volta da 01:00 da manhã, as pessoas começam a evacuar o local e dirigir-se a suas próprias festas (Reveillon Boutique, Shine, Pacha, El Divino, etc.). A festa que compareci foi a Pacha.

Sem muito transito e maiores problemas para chegar ao local, foi constatado que o estacionamento estava parcialmente alagado, devido às chuvas daquela tarde. Fazendo com que em medida de emergência, novas vagas de carros fossem abertas, o que causou um pouco de confusão para se parar o carro.

A festa em si, nada a reclamar, open bar de respeito como prometido. O mais surpreendente foi à eficiência no bar, fazendo com que as pessoas não ficassem nem cinco minutos para pegar suas bebidas. Ao contrario por exemplo do P12, alguns dias antes, que sofria com os bares lotados e com poucos funcionários no atendimento.

Muita gente bonita, um som que apesar de não contar com nenhum DJ renomado, não deixou a desejar ao que por exemplo tocava no Taikô horas antes. Enfim, dinheiro bem gasto.

Após a saída do club Pacha por volta das 06:30 da manhã, resolvemos ver qual era o estado da praia em Jurerê Internacional. Encontramos o Taikô e P12 fechados, ao contrario do Café de La Musique que ainda estava em tempos de fim de festa. A praia estava suja, mas dentro das expectativas. Um batalhão de limpeza fez seu trabalho em pouco tempo, deixando em poucas horas a praia praticamente limpa novamente.

Em resumo pode-se dizer que o Reveillon de Florianópolis agrada gregos, troianos, romanos, turcos, etc. Aos que gostam de agitação, opções ao longo de toda a Ilha não faltam, seja esta dentro de um club ou com os pés na areia. Já para aqueles que gostavam de ficar mais tranqüilos, o centro oferece boas opções, com bares e restaurantes funcionando. Alem é claro da tradicional queima de fogos”.

O réveillon mal acabou e já vamos falar do carnaval… de São Paulo. Pois é, não é só Rio de Janeiro e Salvador que têm folia, não. A Terra da Garoa, além dos desfiles das escolas de samba, tem uma programação animada de blocos carnavalescos.

Confira a programação:

Banda Bantantã – 5 de fevereiro, sexta-feira

O bloco desfila pelo Butatã, na Zona Oeste, às 21h, mas a concentração começa bem mais cedo, às 16h, na esquina da Avenida Waldemar Ferreira com Rua Desembargador Armando Fairbanks.

A Banda Bantantã foi fundada em 1979 por funcionários da Universidade de São Paulo (USP) frequentadores dos bares da Avenida Waldemar Ferreira.

Percurso: Rua Desembargador Armando Fairbanks, Av. Vital Brasil, Rua Estevão Lopes, Rua Gaspar Moreira, Praça Monte Castelo, Rua Romão Gomes e Av. Lopes, Rua Gaspar Moreira, Praça Monte Castelo, Rua Romão Gomes e volta para a Av. Waldemar Ferreira. O bloco faz duas vezes o mesmo percurso.

Banda do Candinho – 10 de fevereiro, quarta-feira

O percurso passa pelas ruas da Bela Vista e do Bixiga, no Centro. A concentração começa às 17h, na esquina das ruas Santo Antônio e 13 de Maio, no Bixiga. O desfile deve começar por volta das 21h.

A Banda do Candinho foi fundada em 1981 e tinha como objetivo divulgar a festa pré-carnavalesca de São Paulo. Um dos destaques da banda é o show de mulatas.

Percurso: Rua Santo Antônio, Rua Martinho Prado, Rua Martins Fontes, Rua da Consolação, Rua Xavier de Toledo, Praça Ramos de Azevedo, Teatro Municipal, Rua Conselheiro Crispiniano, Largo do Paissandu, Av. São João, Av. Ipiranga, Praça da República, Av. São Luiz, Viaduto 9 de Julho e Rua Santo Antônio até a esquina da Rua 13 de Maio.

Banda Grone´s – 07 de fevereiro, domingo

A concentração começa às 13h na Rua Dr. Saturnino Vilalba, na altura da Praça Lions, de onde o bloco parte, por volta das 16h, para o seu percurso pelas ruas do Tremembé, Zona Norte.

Chamado de Grêmio Cultural e Esportivo Grone’s, o bloco desfila há nove anos pelas ruas do Tremembé, mas durante todo o ano mistura futebol e samba em um casamento animado.

Percurso: Rua Dr. Saturnino Vilalba, Rua Mártires Armênios, Rua Georgi Michel Atlas, Rua Alcindo Bueno de Assis e Rua Lavinia Pacheco e Silva.

Banda Redonda – 08 de fevereiro, segunda-feira

Os foliões se concentram a partir das 19h no encontro das ruas Theodoro Baima e da Consolação com a Avenida Ipiranga. O desfile começa às 21h.

A Banda Redonda completa 31 anos de existência no início de 2010. foi fundada por atores e profissionais de teatro e cinema e costuma desfilar toda segunda-feira que antecede o carnaval.

Percurso: Rua Theodoro Baima, Rua da Consolação, Rua Xavier de Toledo, Praça Ramos de Azevedo, Teatro Municipal, Rua Conselheiro Crispiniano, Largo do Paissandu, Av. São João, Av. Ipiranga, Praça da República e Rua Theodoro Baima.

Bloco Classe A – 06 de fevereiro, sábado

O desfile pelas ruas da Barra Funda, Centro, está marcado para as 15h, mas a concentração começa ao meio-dia em frente ao número 295 da Rua Souza Lima.

Fundado em 1979, o bloco Classe A nasceu nas proximidades da Praça Marechal Deodoro, na região central, em um terreno baldio onde os moradores jogavam bola. O Classe A nasceu como time, mas como os jogadores gostavam de samba, resolveram criar o bloco carnavalesco.

Percurso: Rua Souza Lima, Rua Barra Funda, Alameda Eduardo Prado, Praça Marechal Deodoro, Rua General Olímpio da Silveira, Rua Mário de Andrade, Rua Lopes Chaves, Rua Camaragibe, Rua João de Barros, Rua Brigadeiro Galvão, Rua Conselheiro Brotero, Rua Barra Funda e Rua Souza Lima.

Bloco da Ressaca – 06 de fevereiro – sábado

O bloco desfila pelas ruas do Cambuci, entre a região central e a Zona Sul. A saída está marcada para as 16h30m, e a concentração, no Largo do cambuci, para as 14h.

O Bloco da Ressaca foi criado em 1984 por um grupo de amigos que costumavam frequentar um tradicional restaurante do bairro. Desde então, o bloco sai no sábado que antecede o carnaval e leva fantasias feitas pelos próprios participantes. Em 2010, a organização espera reunir uma banda com 40 metais e uma bateria com 50 percussionistas.

Percurso: Largo do Cambuci, Rua Luiz Gama, Rua Cesário Ramalho, Rua dos Alpes, Rua Gerônimo de Albuquerque, Rua Barão de Jaguará, Rua Silveira da Motta, Rua Justo Azambuja e Rua Lavapés até o Largo do Cambuci.

Banda do Trem Elétrico – 12 de fevereiro, sexta-feira

O bloco da Banda do Trem elétrico vai desfilar a partir das 21h pelo bairro da Consolação, no Centro. A concentração será às 19h na Rua Augusta com a Rua Luiz Coelho, próximo à estação Consolação do Metrô.

A banda foi fundada em 1981 por metroviários que costumavam se reunir na área de lazer do pátio do estacionamento do metrô Jabaquara, na Zona Sul de São Paulo. Com a chegada de mais funcionários, amigos e simpatizantes da banda, a agremiação carnavalesca cresceu e passou a desfilar pelo centro de São Paulo. Após o desfile, os participantes pegam um ônibus fretado e vão continuar a festa na Quadra dos Metroviários, no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo.

Percurso: Rua Augusta, Rua Martins Fontes, Rua Xavier de Toledo e Praça Ramos de Azevedo.

Bloco Umes Caras Pintadas – 11 de fevereiro – quinta-feira

É o bloco oficial da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (UMES SP). O desfile percorre algumas ruas dos bairros da Bela Vista e do Bixiga, na região central de São Paulo. Em 2010, o desfile começará às 19h da quinta-feira, dia 11 de fevereiro. A concentração será às 17h, no número 323 da Rua Rui Barbosa.

O bloco foi fundado em 1994 pela diretoria de cultura da entidade. O desfile pelas ruas do Centro de São Paulo tem como objetivo manter a tradição do carnaval entre os estudantes paulistanos.

Percurso: Rui Barbosa, Rua Santo Antônio, Rua 13 de Maio, Viaduto Armandinho do Bixiga e Rui Barbosa.

com informações do G1

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

Só quando cruzo a Ipiranga com a Avenida São João...

Quando você pensa em turismo no Brasil, que cidades lhes vêm a mente? Rio, Salvador, Recife, Florianópolis. Esqueçam todas elas e tentem adivinhar qual foi eleita a melhor capital para os turistas em pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas a pedido do Ministério do Turismo… São Paulo, a Terra da Garoa. Entre as cidades que não são capitais, Foz do Iguaçu ficou em primeiro e Ouro Preto em segundo.

Agora, vamos ver quais foram os critérios utilizados… a melhor aqui veio no sentido de mais bem estruturada. Realmente para quem gosta de um bom albergue, isso não é lá muito verdadeiro, pois só existem uns oito em toda a metrópole, mas a pesquisa avaliou 65 municípios em 13 aspectos, atribuindo notas de 0 a 100 a cada item. As cidades foram divididas em grupos de 27 (26 capitais e o Distrito Federal) e 38 (não capitais) e classificadas só dentro do próprio conjunto.

Os quesitos analisados foram economia local, capacidade empresarial, acesso (rodovias, ferrovias, aeroportos e transporte local) e serviços e equipamentos turísticos, que inclui sinalização turística, centro de atendimento ao turista, espaços para eventos, capacidade dos meios de hospedagem, dos restaurantes e do turismo receptivo e estrutura de qualificação para o turismo. Cada cidade foi visitada por pesquisadores da FGV durante cinco dias, entre julho e setembro de 2008.

O Rio de Janeiro, sede das Olimpíadas de 2016 e principal porta de entrada dos turistas no Brasil, só ficou em primeiro lugar no quesito ‘atrativos turísticos’, o que demonstra que muita coisa ainda precisa melhorar até lá.

Confira abaixo as melhores cidades em cada quesito:

Infraestrutura geral
.
Capital – Florianópolis
Não capital – Bento Gonçalves
Acesso
.
Capital – São Paulo
Não capital – Foz do Iguaçu
Serviços e equipamentos turísticos
.
Capital – São Paulo
Não capital – Foz do Iguaçu
Atrativos turísticos
.
Capital – Rio de Janeiro
Não capital – Ouro Preto
Marketing e promoção do destino
.
Capital – Belo Horizonte
Não capital – Foz do Iguaçu
Políticas públicas
.
Capital – Recife
Não capital – Porto Seguro
Cooperação regional
.
Capital – Natal
Não capital – Maraú
Monitoramento
.
Capital – Belo Horizonte
Não capital – Balneário Camboriú
Economia local
.
Capital – São Paulo
Não capital – Gramado
Capacidade empresarial
.
Capital – São Paulo
Não capital – Foz do Iguaçu
Aspectos sociais
.
Capital – Curitiba
Não capital – Ouro Preto
Aspectos ambientais
.
Capital – Curitiba
Não capital – Foz do Iguaçu
Aspectos culturais
.
Capital – Salvador
Não capital – Ouro Preto

Infelizmente este post ficou um pouco em cima da hora para aqueles que gostam de se programar com antecedência para o réveillon. Mas isso não é culpa minha, e sim dos organizadores das festas, que gostam de divulgar tudo em cima da hora. Muitos dos eventos para o público GLS ou eletrônico já estão em outros posts, mas vou reunir tudo neste aqui, lincando para as outras páginas quando for o caso. Ainda estou correndo atrás de outras festas, mas vou logo publicando o post para quem já está impaciente.

The Week – vamos começar com uma dos maiores clubs do Brasil, que preparou festas no Rio e em São Paulo.

Rio de Janeiro – Para quem quer começar a curtir cedo, curando a ressaca do Natal, dia 26/27 tem a Cosmopolitan, com o meu grande amigo Fábio Flyer na pista Docs e os DJs Filipe Guerra, Isaac Escalante, Jeff Vale e Gustavo Júnior na pista Cosmo.  No dia 30, esquentando os tambores para a virada, tem a Noite Preta, com show de Preta Gil. Quem abre a noite é a DJ Helen Sanchon, e após o show tem DJ Zé Pedro, com a dupla de DJs Dri Toscano e Diego Valente fechando a festa. Na noite do réveillon, é hora de tirar aquela roupa branca estalando de nova do armário para curtir a Nuit Blanche ao som dos DJs Gustavo Júnior, Chris Cox e Renato Cecim, na Pista Cosmo, e João Neto, Jeff Valle e Filipe Guerra, na Pista Docas.
Rua Sacadura Cabral, 154 – Saúde
(21) 2253-1020

São Paulo – Na Terra da Garoa, a diversão também começa no dia seguinte ao Natal com a festa Babylon. Na pista I, Paulo Pacheco, Renato Cecin e João Neto comandam o som, na Pista II, Kiron, Grá Ferreira, Marcelo Charbel e Herbert Tonn. Na noite da virada, a Nuit Blanche ataca de Isaac Escalante, Morais e Paulo Pacheco na Pista I e Vlad, Kiron e Grá Ferreira na Pista II.

E-Joy – Do Sudeste rumamos direto para o Sul, onde, em Florianópolis, a E-Joy promove três festas para a virada do ano. O pré-réveillon E-Joy, no dia 30, rola na Mansão Alameda Casa Rosa, e traz no Line Up Felipe Accioly, Rodolfo Bravat, Douglas Penido e Ale Bittencourt. No dia da virada, a E-Joy International Celebration começa às 22h no Lagoa Iate Clube, com os DJs Ale Vidal, Rodolfo Bravat e Douglas Penido, além da atração internacional Escape (USA). Tem ainda show com Lorena Simpson e bailarinos. Uma folguinha para curar a ressaca e, no dia 02, rola a E-Joy Paradise Island, no mesmo Lagoa Iate Clube. No line up, os DJs Chin, o colombiano Fist e Bruno Pacheco. Clique aqui para conferir os endereços e postos de venda.

Santa Catarina, aliás, é o melhor lugar para quem gosta de ouvir bons DJs. Clique aqui para ler o post sobre o réveillon por lá, com apresentações de Miguel Migs, Pete Tha Zouk, Tim Healey, Trentemoller…

Rio de Janeiro –

Viradão no Dama Essa apareceu no meu email no dia 30… vai rolar um after réveillon no Dama de Ferro, começando às 3h da matina e se estendendo até às 11h. Quem toca por lá é o meu amigo e sócio André Araújo, seguido de Gustavo Tatá e Renato Weiss. O Dama fica na rua Vinícius de Morais, quase esquina com a Lagoa Rodrigo de Freitas.

R:evolution + Pool Party (com informações do site Cena Carioca, do amigo André Garça) – “Rosane Amaral fará suas duas tradicionais festas nessa temporada. A primeira, R:EVOLUTION, rola logo mais no reformadíssimo Armazem 2, no Cais do Porto. A produtora volta a apostar num mexicano não muito conhecido, mas que agradou na última edição: Sergio Garcia será o headliner desta noite. No dia 1º de janeiro, a POOL PARTY rola no Clube Internacional de Regatas, com uma maravilhosa vista do Pào de Açucar. A grande atraçao da festa é a americana Twisted Dee, DJ querida dos brasileiros. A Pool Party começa as 16h… e como sempre, sabe-se lá que horas vai acabar”

Búzios – o balneário descoberto por Brigitte Bardot também é um bom lugar para se ouvir o bom e velho bate-estaca. A principal atração por lá é o paulista Gui Borato, mas tem também D-Nox e Beckers e DJs da cena carioca como Marcelinho Cic, Leo Janeiro, Marian Flow e Zeo. Clique aqui para ler o post com todas as festas de Búzios.

BahiaUniverso Paralelo – São sete dias de eletrônico na mente em um dos maiores festivais do Brasil.  A festa na Praia de Pratigi, na Bahia, começa no dia 28/12, às 8h, e segue initerruptamente até às 10h do dia 04/01. A estrutura reúne um grande camping, com chuveiros e sanitários. Há feiras, bares, lojas, internet na praia e tudo o que você precisa para viver intensamente sem perder o conforto. O valor do ingresso na portaria do festival está em R$ 380.

Maresias-SP – o mega-club Sirena este ano não trouxe nenhum nome de peso para sua festa, apostando no bom e velho Carlo Dall´anese (que ninguém deve aguentar mais).  As festas rolam no dia 26, 28, 29, 31 e 02, sempre com o Dall´anese (tem dias que ele toca nas duas pistas) e Ricardo Menga. Em alguns dias ainda tem uns convidados, mas todos desconhecidos (pelo menos para mim). Mas só pelo local e pelo público, o Sirena já vale a pena.

Prometo colocar outros eventos aqui até o meio da semana…

Leia também os posts com as festas de réveillon em outros lugares:

Rio de Janeiro

Bahia

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

É carnaval

É carnaval

O carnaval do Rio de Janeiro já começou. Os ensaios técnicos das escolas de samba já estão bombando na Marquês de Sapucai e, neste fim de semana, faltando dois meses para a festa de Momo, diversos blocos tomam as ruas e casas de shows da cidade para começar a esquentar os tamborins.

Céu na Terra – A Orquesta Popular Céu na Terra, responsável pelo bloco de mesmo nome (um dos meus favoritos) que desfila em Santa Teresa, se apresenta nesta sexta-feira (11/09), na Casa Rosa, em Laranjeiras em mais uma edição do Bailes da Alice. Na outra pista, o DJ Zédoroque mostra o suingue de sua MPB dançante. Na semana que vem, quem se apresenta por lá é o Bloco Cru.
Casa Rosa:
Rua Alice 550, Laranjeiras — 2557-2562. Sex, às 23h. Orquestra Popular Céu na Terra e DJ Zédoroque (MPB). Mulher: R$ 15. Homem: R$ 30. Não recomendado para menores de 18 anos.

Céu na Terra

Céu na Terra

Empolga às 9 – Também nesta sexta, o Empolga às 9, popular bloco de Ipanema, se apresenta no projeto Samba no Horto, no Clube dos Macacos. Para quem ler este post muito em cima da hora, ainda há uma segunda chance de sambar ao som dos caras amanhã, no Teatro Odisséia, na Lapa, a partir das 21h.
Teatro Odisséia
Rua Mem de Sá 66, Lapa — 2224.6367. Sáb, às 21h. Empolga às 9. R$ 28. Não recomendado para menores de 18 anos.
Clube dos Macacos
Pacheco Leão 2.038, Jardim Botânico — 2539-8215. Sex, às 22h. Empolga às 9. Sex, às 22h. R$ 50. Não recomendado para menores de 18 anos.

Imprensa Que Eu Gamo – Os coleguinhas jornalistas do Imprensa que Eu Gamo, bloco que todo ano abre oficialmente o carnaval carioca, comemoram seus 15 anos com um baile regado a feijoada no domingo, às 14h, no bar Balneário da Lapa.
Balneário da Lapa
Av. Mem de Sá 63, Lapa — 2222-0328. Dom, às 14h. Baile/ feijoada do Imprensa Que Eu Gamo. R$ 20. Livre.

Nó Molhado – O pessoal da Zona Norte da cidade não foi esquecido e, na Tijuca, o grupo Nó Molhado faz uma apresentação no botequim Vaca Brava, com participação do pessoal do bloco Se Me Der, Eu Como.
Balneário da Lapa
Av. Mem de Sá 63, Lapa — 2222-0328. Dom, às 14h. Baile/ feijoada do Imprensa Que Eu Gamo. R$ 20. Livre.

Ensaios técnicos – Para o pessoal que gosta de ver um bom samba no pé, a boa é o Sambódromo, para ver os ensaios técnicos das escolas de samba. Domingão é dia de Império Serrano, às 19h; Mocidade, às 20h; e Vila Isabel, às 22h.
Sambódromo
Av.Marquês de Sapucaí, S/N, Centro – 3344-5500

Casa Rosa
Rua Alice 550, Laranjeiras —  2557-2562. Sex, às 23h. Orquestra Popular Céu na Terra e DJ Zédoroque (MPB). Mulher: R$ 15. Homem: R$ 30. Não recomendado para menores de 18 anos.

Feriado de finados, 02 de novembro (ok, no vídeo eu coloquei 02/10, mas depois de exportar e fazer o upload, eu não vou mudar), sol, calor. Nada melhor do que um passeio de lancha, um mergulho e uma pescaria para se preparar para mais uma semana de labuta. A bordo do barco do amigo Jairo Venâncio, fui conhecer as Ilhas Tijucas, a pouco mais de um quilômetro da costa, e o interior do canal de Marapendi. Este não é um típico passeio turístico do Rio, com lanchas saindo a cada meia hora. Se você tem carta de arrais amador, pode alugar um jet-ski em uma das muitas empresas à beira do canal, ou convencer alguém a te levar em um barco, mas não é nada regular. Segue então um vídeozinho que serve mais para apreciar as belas imagens do que para se informar.

Para mais dicas sobre a cidade, visite o post Rio de Janeiro, o guia completo

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

De lancha pela Barra da Tijuca

Próxima Página »