Yes, we créu!

Yes, we créu!

Ontem foi um dia histórico para o Rio, o Brasil, a América do Sul e sei lá mais quem… a única vez na vida que eu fiquei tão apreensivo em frente à televisão foi quando a Fernanda Montenegro foi indicada ao Oscar. Mas enquanto a nossa grande atriz acabou decepcionando a todos, o Rio fez bonito e trouxe para casa a Olimpíada de 2016. O que isso significou para mim? Bom, em um primeiro momento, significou que, em vez de eu sair às 20h do jornal, eu só ia sair no meio da madrugada. Após a enxurrada de matérias que eu escrevi, os posts que coloquei no blog da Rio 2016 no jornal, as fotos que tratei, os vídeos que editei e sei lá mais o quê, pude pensar mais friamente no caso… mas aí eu já estava muito cansado para chegar a qualquer conclusão.

Pude ver, porém, alguns dos efeitos que a escolha do Rio como cidade-sede de 2016 já trouxe. O jornal veio cheio de anúncios, após um certo período de vacas magras, as ações de companhias aéreas subiram na bolsa de valores e, o mais importante, todos tinham um sorriso no rosto, demonstrando o orgulho de ser carioca, brasileiro, sul americano… Dei até uma entrevista ao vivo para uma rádio da Argentina… nossos hermanos devem estar até agora tentando entender o que eu falei, mas isso já demonstra a atenção na mídia mundial que passaremos a ter a partir de agora.

O Twitter foi um caso a parte. A criatividade e ironia dos brasileiros apareceram logo e o trending tópic ‘Yes, we créu’ foi para o topo da lista. Ressuscitaram até o Mussum, que virou o mascote da nossa zoação com os pobres americanos, eliminados na primeira rodada.

Uma análise mais profunda do que acontecerá daqui para a frente, dos ganhos, e perdas, que teremos com a responsabilidade de sediar o evento, de como isso afetará o turismo e a vida dos cariocas e brasileiros, ainda será feita aqui no blog… o momento agora é de comemorar, e gritar bem alto ‘YES, WE CRÉU!!!’

Anúncios