Relaxando no Great Lawn

Relaxando no Great Lawn

Nova York é a minha cidade preferida nos Estados Unidos, não é à toa que já fui para lá umas 7 vezes, sendo que em três dessas eu fiquei mais de um mês. Já fiz curso de inglês lá, já trabalhei, já passeei, e sempre que vou, independente do motivo, encontro novidades que me convencem de que valeu à pena voltar. Mas não adianta, o meu lugar favorito na Grande Maçã é o Central Park. Por isso evito ir à cidade no inverno, para poder cutir tudo o que o parque tem a oferecer.

Uma observação aqui: descobri que o monitor do meu computador novo é muito claro. Então, quando fui tratar as fotos, dei uma escurecida. Descobri aqi no trabalho, que as fotos ficam escuras dependendo do monitor.

Clique na foto para ampliar

Clique na foto para ampliar

Um dos motivos dessa minha paixão pelo lugar está diretamente relacionado à sua história. Toda a região ali era um pântano, com muitas favelas. Não vou me alongar nisso, quem quiser saber mais, assista ao documentário ‘Descontruindo Nova York’, no Discovery Channel. Mas o fato é que tudo ali foi criado pelo homem: os lagos, as cachoeiras, as árvores (ok, elas não foram criadas… foram plantadas, mas vocês entenderam). A ideia era que, sempre que o visitante mirasse uma paisagem, ele se sentisse dentro de um quadro. O parque ficou pronto em 1873, após 13 anos de construção, e é impossível imaginar Nova York sem aquele pulmão verde bem no meio da cidade.

Clique na foto para ampliar

Clique na foto para ampliar

Minha história de amor com o local começou em 1993, quando eu tinha apenas 15 anos e visitei a cidade pela primeira vez, para um curso de inglês de um mês e pouco. Passava tardes ali com meus amigos, jogando frisbee, futebol, ouvindo alguém tocando violão, assistindo aos shows do Summer Stage, ou simplesmente deitado naquela grama verde, pegando sol. O que os engenheiros, arquitetos e paisagistas fizeram realmente é impressionante. Dentro do Central Park você está em outro mundo. Não se vêem os prédios, não se escutam os carros e você nem percebe que está em uma das maiores metrópolis do planeta.

Isabela, fazendo pose

Isabela, fazendo pose

Voltei lá, claro, nesta minha viagem, e tirei um dia inteiro para passear pelas entranhas daquele monstro de 3,41 km2, que se extende da rua 59 à 110. Se você for para lá, faça o mesmo. Não adianta só andar pelo parque, tem que vivenciá-lo. Deitar na grama do Great Lawn, parar para tomar um refrigerante com hot dog apreciando um dos muitos lagos, parar para apreciar as pessoas, os artistas de rua e, principalmente, a bela paisagem. Para quem se empolgou, aqui vão algumas dicas:

Contraste entre o verde e a selva de pedra

Contraste entre o verde e a selva de pedra

Existe uma infinidade de maneiras de se conhecer o parque. Pode-se alugar uma bicicleta (cerca de USD 20 por duas horas. Desconto para reservas online) ou mesmo fazer um bike tour guiado (USD 45 adultos e USD 35 crianças. Reservas online têm desconto). Eu não recomento. As bicicletas podem andar apenas por algumas vias designadas do parque, e, assim, você deixa de conhecer as melhores partes. A mesma coisa vale para os bike-taxis  (conhecidos lá como ‘pedicabs’) , que oferecem tours de 2 a 4 horas, com valores que podem variar de USD 30 a 60. Os que ficam espalhados por dentro do parque são mais baratos. Evite os da Columbus Circle, em frente ao Plaza Hotel. Há ainda a opção do famos passeio de charrete, que custa por volta de USD 60 (também se concentram no Columbus Circle). Esse aí eu só recomendo se você estiver fazendo uma noite romântica com sua alma gêmea e quiser impressionar. Escolha uma noite mais fria, leve uma champagne e passeie aconchegado debaixo do cobertor quentinho. Fora isso, vá á pé! Leve um lanchinho para um piquenique em um dos gramados (recomendo o Great Lawn ou o Cheep Meadow) e uma máquina fotográfica com um cartão de memória bem robusto.

Bike Rental Central Park – https://www.bikerentalcentralpark.com/
Descontos para reservas online.
348 W 57th ST

Passeio de charrete

Passeio de charrete

As atrações espalhadas pelo parque são inúmeras, mas eu vou tentar enumerá-las aqui.

Teatro – Todo verão, a trupe do Joseph Papp Public Theater organiza um festival chamado ‘Sheakspeare in the park’, com peças gratuitas ao ar livre no Delacorte Theater. Mas outros autores também têm vez. Os ingressos, dois por pessoa, são distribuídos a partir de 13h nas bilheterias do teatro. As filas, porém, começam a se formar desde cedo. Se você quiser vivenciar essa experiência, dedique um dia inteiro da sua vida, a não ser que você conheça alguém que assine o material do Public Theater. Eles têm direito a comprar ingressos.

Vista do Belvedere Castle, com as arquibancadas do teatro. Clique para ampliar

Vista do Belvedere Castle, com as arquibancadas do teatro. Clique para ampliar

Shows – No meu primeiro dia em NY, Whitney Houston cantou, e desafinou feio, pelo que eu fiquei sabendo pelos jornais, no meio do Great Lawn. A Orquestra Filarmônica de NY faz diversos concertos no parque. As pessoas levam cestas enormes de piquenique, candelabros, pratos de porcelana, talheres de prata… imperdível. Fique ligado na programação de shows do parque. Quem sabe você não assiste à sua banda favorita no meu lugar favorito.

No verão, a City Park Foundation organiza o evento Summer Stage, onde diversos músicos dos mais variados estilos e países se apresentam. Eu já assisti a um show do Caetano Veloso lá (e acabei saindo na capa do NY Times, dançando no meio da multidão).
Localização: Rumsey Field, no meio do parque na altura da rua 70.
Entrada gratuita

Zoológico – A apenas alguns metros da 5ª Avenida, você vai encontrar um zoológico com mais de 130 espécies de animais, do casa de ursos polares Ida e Gus a pequenas formigas. Um passeio pelo local leva o visitante a conhecer uma variedade de habitats, todos cuidadosamente planejados para recriar as condições naturais de cada animal. No mesmo local há um zoo para crianças.
Localização: East Side, entre as ruas 63 e 66.
Horário de funcionamento: Abril a outubro – de segunda a sexta, de 10h às 17h. Fim de semana, até as 17h30m. Novembro a março – diariamente, de 10 às 16:30
Preços: Adultos – USD 10, Idosos – USD 7, Crianças de 3 a 12 anos – USD 5, e crianças abaixo de 3 anos – grátis.
Informaçõeshttp://www.centralparkzoo.com/

Rink de patinação / piscina – No verão, pessoas se refrescando em uma bela piscina pública. No inverno, um rink de patinação. Assim é a Lasker Pool & Rink. Na falta de uma praia, vale chegar lá para um mergulho, mas o melhor é no inverno, com dezenas de pessoas patinando.

Há ainda um outro rink de patinação no parque, o Wollman Rink. No verão, o gelo dá lugar a uma pista de cimento e os patins in line dominam a cena.

Lasker Poll & Rink
Localização: no centro do parque, entre as ruas 106 e 108.
Preços: a piscina é grátis, mas o patins no gelo custa USD 4 (adulto) e USD 2 (crianças), fora o aluguel do equipamento.
Horários: Patinação no gelo – de Novembro a março, diariamente; Piscina – a partir de 1º de julho até meados de setembro, diariamente, de 11h às 15h e de 16h às 19h.
Informações: 212-534-7639

Wollman Rink
Localização: East Side, entre as ruas 62 e 63.
Horários: segunda e terça, de 10h às 14:30; quarta e quinta, de 10 às 22; sexta e sábado, de 10 às 23; e domingos, de 10 às 21h. A patinação no gelo funciona de novembro a março.
Preços: de segunda a quinta – adultos, USD 10; crianças, USD 5.25. De sexta a sábado – adultos, USD 14; crianças, USD 5.50. Aluguel de patins, USD 6.
Informações: 212-439-6900

Loeb Boathouse

Loeb Boathouse

Restaurantes – espalhados pelo Central Park, há várias lanchonetes onde você pode comer alguma coisa rápida, mas os restaurantes mais conhecidos são o Tavern on the Green e o Loeb Boathouse. O Boathouse é um bom lugar para um jantar romântico, assistindo ao pôr do sol e vendo o vai-e-vem dos barquinhos. Dividido em restaurante, louge, cafe e bar & grill, oferece uma grande seleção de vinhos e uma variedade de carnes e peixes. Quem se empolgar, pode alugar um barco a remo ali mesmo. No verão, ainda é possível fazer passeios de gôndola.

O Tavern on the Green é um dos restaurantes mais conhecidos da cidade. No verão, o salão Crystal Garden recebe festas dançantes. O lugar é palco de grandes eventos e festas de casamento. Prepare-se para gastar bem.

Tavern on the Green –
Localização: West Side, entre as ruas 66 e 67.
Horários: Almoço – de segunda a sexta, das 12h às 15h; fins de semana, a partir das 11h. Jantar – de segunda a quinta, de 17h30m às 22h30m; sextas e sábados, das 17h às 11h45m. Brunch – sábados e domingos, às 10h.
Reservas: 212-873-3200
Site: http://www.tavernonthegreen.com/

Loeb Boathouse –
Localização: East Side, entre as ruas 74 e 75.
Horários: depende da área do restaurante, mas geralmente os horários vão de 9h (fast food) às 22h (restaurante)
aluguel de barcos: de abril a outubro, dependendo do tempo. Diariamente, de 10h às 17h. preço: USD 12 a primeira hora e USD 2.50 cada 15 minutos adicionais. USD 20 de deposito de segurança. Máximo de quatro pessoas por barco.
Passeios de gôndola: verão, de segunda a sexta, das 17h às 21h e sábados e domingos, das 14h às 21h. Preço: USD 30 por meia-hora.
Reservas: 212-517-2233
Site: http://www.thecentralparkboathouse.com/

Museus – Como ainda vou fazer um post só sobre este assunto, e este post já está gigante, não vou me alongar muito. Sete museus ficam dentro, ou nos arredores, do Central Park. São eles o Cooper-Hewitt, o Frick Collection, o Guggenhein, o Museu de História Natural, o Metropolitan Museum of Art, o NYC Museum e o Historical Society Museum.

Sculptures –

Sports – O Central Park oferece uma variedade de aparelhos e campos para a pratica de esportes. De uma simples corrida ou pedalada por suas ruas à campos de futebol, beisebol, quadras de tênis, vôlei e gramados para a prática de criquet e boliche (isso mesmo, boliche na grama). Ainda há vários programas com aulas de thai chi chuan, ioga e sei lá mais o quê. Dê uma olhada no mapa para descobrir onde praticar cada um dos esportes.

Crianças – Além do zoo para crianças, há diversos playgrounds espalhados pelo parque, um pequeno parque de diversões, teatro de marionetes, carrousel, isso e mais aqulio outro também. Vamos a algumas delas:

Teatro de Marionetes –
Localização: Sweedish Cottage, rua 79 com West Drive, ao sul do Delacorte Theater.
Horários: acho que só não rola em setembro. No verão, de segund a sexta, de 10h30m às 12h. Às quartas, há uma apresentação às 14h30m; e sábados e domingos, 13h.
Preços: adultos, USD 8; crianças, USD 5,
Reservas: 212-988-9093

Friedsam Memorial Carrousel –
Localização: rua 62, no meio do parque.
Horários: a partir de abril, de segunda a sexta, de 10h às 18h e sábados e domingos, de 10h às 19h. Inverno, de 10h até anoitecer.
Preço: cerca de USD 1.
Telefone: 212-879-0244

Alice no País das Maravilhas (Margarita Delacorte Memorial) –
Estátua em bronze com personagens do conto de Lewis Carrol
Localização: East Side, altura da rua 74.

Vista do parque de diversões Victorian Gardens

Vista do parque de diversões Victorian Gardens

Victorian Gardens (parque de diversões) –
No verão, o Wollmans Rink se transforma em um parque de diversões para crianças, com carrousels, montanhas-russa e todos os tipos de brincadeiras.

Pontos de interesse – Esculturas, chafarizes e até um castelo fazem parte do roteiro dos visitantes. Vou listar aqui alguns dos que mais gosto:

Belvedere Castle – Com uma vista de 360 graus do parque, bem ao lado do Delacorte Theater, há um castelo medieval, onde também funciona o Henry Luce Nature Observatory. Visitá-lo é imprescindível.
Localização: no meio do parque, na altura da rua 79.

Betheda Terrace

Betheda Terrace

Betheda Terrace and Fountain – Outra visita obrigatória. Um dos lugares mais visitados, fotografados e apreciados do parque. Cenário de diversos filmes de Holywood. Na parte de cima, uma bela vista do parque. Embaixo, um túnel ornamentado com padrões de cerâmica. Na parte baixa, há ainda um chafariz, onde se pode observar o vai-e-vem das pessoas.
Localização: no meio do parque, na altura da rua 72.

Pontes – um show à parte. Nenhuma ponte do parque é igual a outra. Em um passeio à pé, você vai passar por várias delas.

Lagos – também são vários, de norte a sul do parque. Alguns oferecem passeios de barco, outros, uma vista de tirar o fôlego. Cobrindo um oitavo da superfície do parque, o Central Park Reservoir, oficialmente chamado de Jaqueline Kennedy Onassis Reservoir, é o maior de todos.

Gramados – Cheep Meadow, North Meadow e Great Lawn são os maiores. Excelente lugar para fazer um piquenique e simplesmente deitar e relaxar na grama verde e fofa.

The Mall – Um caminho cercado de árvores, ao sul do Betheda Terrace, onde se podem ver diversas esculturas.

Bom, pelo tamanho do post, vocês devem ter notado o quanto eu gosto do parque. Deixei de listar muitos lugares interessantes, mas vou parar por aqui, senão acabo escrevendo um livro. A minha maior dica porém é: tire um dia inteiro e simplesmente caminhe pelo parque, com um mapa na mão para não se perder.

———————————————————————————

Assista a vídeos exclusivos na TV Sem Destino

Veja todas as fotos das minhas viagem pelo mundo no Flickr do Sem Destino

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Siga o Sem Destino no Twitter – clique aqui

———————————————————————————

Leia outros posts sobre destinos nos Estados Unidos:

De Venice a Santa Monica em duas rodas

A Odisséia de Pedro – de SF ao RJ em quatro dias

Cenas americanas – de NY a Monterrey em 15 fotos

Wi-fi no avião – postando a 30 mil pés de altitude

O reino mágico de Walt Disney

Washington – descobrindo o centro do poder americano

Gettysburg – descobrindo um campo de batalha

Anúncios