O painel de 30 metros de altura

O painel de 30 metros de altura

Como colocar os visitantes de Leipzig em um ambiente que os fizesse ter a verdadeira dimesão do que a Floresta Amazônica representa, não só em importância, mas também em tamanho?

Esse foi o desafio encontrado pelo artista plástico Yadegar Asisi quando ele resolveu montar a obra ‘Amazonien’ na cidade alemã.

Plataforma de onde se poderá apreciar a obra

Plataforma de onde se poderá apreciar a obra

.

.

.

O jeito foi construir um painel da altura de um prédio de dez andares com um panorâma de 360 graus da floresta com ajuda de cerca de 30 mil fotografias feitas no Brasil.  Imagens da selva serão impressas em faixas de poliéster, formando o gigante mural de 100 metros de largura e 30 de altura… uma imagem de mais de três mil metros quadrados

Os visitantes poderão se deslumbrar com a obra de uma plataforma colocada no centro do salão circular de um gasômetro desativado. A inauguração está prevista para o dia 28 de março.

Yadegar na Amazônia

Yadegar na Amazônia

Para quem acha que o artista está engajado em alguma causa de preservação ambientalista, ou que é simplesmente um desses ecochatos que aparecem por aí, ele explica que sua mensagem tem característica puramente estética: ‘Não me interesso pelo desmatamento da Amazônia.  Eu quero somente representar a beleza e complexidade [da floresta], que estimulam as pessoas a refletir.’

Mas a obra não é a única atração prevista para cidade. Ela faz parte das celebrações dos 150 anos da morte do naturalista Alexander Von Humboldt, de quem eu nunca ouvi falar, mas que parece ser bem importante. Há até uma fundação de incentivo à pesquisa com o nome do cara. Bom, quem quiser saber mais, visite o verbete dele na Wikipedia.

Voltando: além do painel da Amazônia, haverá uma instalação de 25 metros de altura com insetos da região.

Este é o quarto trabalho que Yadegar Asisi, que é conhecido como ‘o artista das ilusões’, realiza para a sua série ‘Panometer’, de pinturas colossais de panoramas em 360 graus. Nos anos anteriores, ele reproduziu o Monte Everest, a cidade de Dresdem no início do século 18 e a Roma antiga do tempo do imperador Constantino.

Painel com a cidade de Dresden no século 18

Painel com a cidade de Dresden no século 18

Se você veio parar nesse post direto de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Para ler as notícias fresquinhas do Sem Destino, assine o RRS Feed do blog

Anúncios