Rio for partiersA Justiça vem tentando tirar de circulação o guia ‘Rio for partiers’ (ed.Solcat, US$23,89) por causa de uma classificação nada lisongeira das cariocas.  A publicação ensina ao turista que visita a cidade qual o tipo de mulher mais fácil para ele se dar bem e divide nossas meninas em ‘Britney Spears, popozudas, hippie ou raver e balzac.’

Para eles, ‘as filhinhas de papai, que se vestem como a Britney Spears, são maravilhosas, mas não deixam ninguém cantá-las’. Já as balzac, ou seja, mulheres acima de 30 anos, ‘querem se divertir, dançar, beber e beijar.  Trate-as como uma dama que elas te tratarão como um rei’. As hippies e ravers são consideradas garotas divertidas, fáceis de se aproximar, fáceis de conversar, difíceis de beijar, fáceis de ir para a balada’.

Mas as campeãs mesmo, e aquelas que todos os gringos que leram o manual devem estar procurando agora, são as popozudas, consideradas ‘máquinas de sexo bundudas. Elas malham, usam calças apertadas enfiadas na bunda (…). Bom para você investir seu tempo porque o motel é sempre uma possibilidade com essas maravilhas’.

gaiola das popozudasSegundo o jornal EXTRA, a Advocacia Geral da União (AGU) entrou na Justiça a pedido da Embratur com uma ação para retirar o manual de circulação por usar indevidamente a marca “Brasil” e por estimular o turismo sexual. A AGU pede o recolhimento da revista. Em caso de descumprimento, os responsáveis poderão pagar multa de R$ 10 mil por dia. De acordo com o procurador federal Marco di Iulio, a revista, escrita por Cristiano Nogueira, expõe o povo brasileiro a situação vexatória com o intuito de promover a exploração sexual e guia classifica as mulheres conforme critérios pejorativos aliados à sexualidade.

Eu tinha um guia da Europa também dedicado a festeiros. Realmente eles não eram tão detalhistas nas explicações, mas falavam qual era a melhor maneira de chegar em uma mulher (ou homem, ou mesmo gay) em cada uma das cidades. Não vejo nada de mal nisso, até porque, colocando as frases assim, podemos achar que é um manual de sexo, mas se você for ler, é uma forma divertida que o cara encontrou para falar sobre as mulheres cariocas. No meu post com dicas sobre o Rio, eu faço a mesma coisa (só que eu falo que as patricinhas são fáceis).

E você, acha que os termos usados pelo cara são ofensivos e o livro deveria ser recolhido? Aproveito e pergunto também, você é uma balzac, uma Britney Spears, uma hippie ou uma popozuda? Clique aqui e deixe o seu comentário

Se você veio parar nesse post direro de algum mecanismo de busca, clique aqui para ler as outras matérias na página incial do Sem Destino.

Anúncios