Pedro Serra

Viajar para a Europa e não visitar seus museus é como ir à Flórida e não conhecer a Disney. Cada cidade tem o seu, dedicado a estilos, artistas e épocas diferentes, ou talvez juntando tudo num bom balaio de gatos. Uma boa forma de decidir quais conhecer ou não é visitar as páginas destes museus antes de viajar, e o site artcyclopedia tem links para todos eles, divididos por países.

Aqui vão algumas dicas dos que, na minha humilde opinião, devem ser visitados:

Picasso - Las MeninasBarcelona:

Museu Picasso – Possui um dos maiores acervos do artista no mundo, com mais de 3.600 obras. É a coleção mais importante de suas obras da juventude e formação.

Madrid:

Museo Reina Sofia – é um dois mais importantes museus de arte moderna espanhola, com obras de Salvador Dalí, Pablo Picasso, Eduardo Chilida, Jacques Lipchitz e, o meu favorito, Juan Miró. Entre as principais obras do museu, estão a famosa Guernica, de Pablo Picasso, que retrata o ataque aéreo à cidade de Guernica durante a Guerra Civil Espanhola, e Mãe com Menino Morto, também de Picasso. O grande Masturbador, considerada uma das melhores pinturas do gênio surrealista Salvador Dali, e as obras Dançarina Espanhola e Caracol, Mulher, FlorSalvador Dali - O Grande Masturbador e Toalha, do também surrealista Miró.

Bilbao:

Guggenheim – O prédio do museu por sí só já é uma obra de arte. Desenhado pelo arquiteto Canadense Frank Gehry, é feito de Titânio, vidro e pedra, com muitas curvas, projetado para capturar a luz. As exposições de arte moderna e contemporânea do museu não são permanentes.

 

Prédio do museu Guggeinheim em Bilbao, Espanha.
Acima, a partir da primeira imagem: Las Meninas, Pablo Picasso. O Grande Masturbador, Salvador Dali. Prédio do Guggenheim em Bilbao.

Paris:

Louvre – O louvre é o mais visitado, o maior, o mais famoso e um dos mais antigos museus do mundo. Só isso já poderia dizer tudo. Mas além disso, é lá que estão as principais obras de artistas como Delacroix, Leonardo da Vinci – como a Mona Lisa, (que realmente é bem pequena quando olhamos de perto, no meio da multidão que se aglomera em volta do quadro) – Ticiano, Rembrant, Goya e Renoir. Além disso, o museu possui uma grande coleção de artefatos do Egito antigo. Quem for visitar o museu tem duas opções de abordagem… a maratonista, que percorre o museu todo em um dia, parando nas principais peças, e a apreciador de arte, que pede pelo menos umas duas visitas ao museu em dias diferentes. (devo dizer que eu optei pela manatorista, dado o meu pouco tempo e dinheiro em Paris e ao meu maior interesse por arte moderna)

Eu e meu irmão em frente ao Louvre, Paris.

Eu e meu irmão em frente ao Louvre, Paris.

Van Gogh “Self-Portrait”. Arles: August, 1888Amsterdam:

Van Gogh Museum – possui a maior coleção de pinturas e desenhos do artista (outro de meus favoritos), que ironicamente em vida só vendeu um quadro. O museu fica localizado na museuplein (praça dos museus), para mim um dos locais mais bonitos de Amsterdam, onde também estão o Rijksmuseum, o Stedelijk Museum, o Museu do Diamante e a Concertgebouw (concert hall).

 

Acima, auto-retrato de Van Gogh – Arles, 1888. Abaixo, Wheat field with reapers at sunrise – Saint-Rémy, 1889.
Van Gogh “Wheat Fields with Reaper at Sunrise”

Londres:

British Museu – Com uma coleção de mais de 13 milhões de objetos, é o maior museu do mundo em história e cultura da humanidade. Seu acervo proveniente dos quatro cantos do mundo ilustra e documenta a história desde o começo dos tempos. A área do museu possui 75 mil metros quadrados, divididos em 96 galerias. E uma média de 4,5 milhões de visitantes por ano.

Vista aérea do British Museum, Londres

Vista aérea do British Museum

 

Anúncios